A VOZ DO POVO NÃO É A VOZ DE DEUS

2
4216

O tão conhecido ditado popular “a voz do povo é a voz de Deus”, que muita gente aceita como verdade absoluta, não têm qualquer suporte na Bíblia. 

A voz do povo
A voz do povo tem várias facetas. Uma delas é a chamada “sabedoria popular”, que abrange um monte de ensinamentos, alguns com pouca importância (por exemplo, tempos atrás dizia-se ser perigoso comer manga com leite), já outros com a capacidade de moldar o comportamento da sociedade (por exemplo, o ditado “quem tem padrinho não morre pagão” indica ser mais importante a ajuda de familiares e/ou amigos do que o mérito, para subir na vida).

Outra faceta da voz do povo é o chamado “clamor das ruas”, quando multidões se levantam para cobrar determinada medida ou em protesto, como aconteceu no Brasil, em 1984, no famoso “Movimento das Diretas Já”, ou, mais recentemente, em 2013, com as manifestações contra o aumento dos valores das passagens de ônibus, que acabaram desaguando num protesto generalizado contra o governo.

Hoje em dia, ficamos sabendo sobre o “clamor das ruas” não mais apenas pelas passeatas e outras formas de protestos públicos, mas principalmente pelos ecos nas redes sociais. Através delas é fácil de ver quando determinada ideia encontra suporte na população.

A voz de Deus
A voz de Deus chega até nós de diferentes formas. Em primeiro lugar, através da Bíblia, que é a sua Palavra. Mas Deus fala também pela boca dos profetas, pessoas especialmente escolhidas por Ele para transmitir sua vontade, como, por exemplo, o profeta Jonas, mandado para Nínive pregar o arrependimento do povo, ou mais recentemente, o pastor Martin Luther King, que liderou o movimento pelo fim da discriminação racial nos Estados Unidos, na década de 60 do século passado.

Finalmente, há casos também onde Deus fala de forma aberta, como, por exemplo, quando deu a Lei ao povo de Israel, no monte Sinai (Êxodo capítulo 20).

As duas vozes podem falar a mesma coisa?
É possível que a voz de Deus fale a mesma coisa que a voz do povo? Sim, é possível. Por exemplo, a Bíblia descreve a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, no Domingo de Ramos. Ela conta que o povo saiu atrás d´Ele, cantando e clamando “salva-nos” (significado da palavra “hosana” em hebraico). Os fariseus estranharam e pediram que Jesus repreendesse as pessoas, para que se calassem. E Jesus lhes respondeu: “se eles se calarem, as próprias pedras clamarão” (Lucas capítulo 19, versículos 37 a 40). 
Naquela vez, o povo falou exatamente o que Deus queria, mesmo sem entender muito bem a missão de Jesus – afinal, os judeus esperavam outro tipo de Messias (queriam alguém que viesse libertá-los do jugo dos romanos). Portanto, é possível sim que a voz do povo seja igual à voz de Deus.
Mas isso acontece com pouca frequência. Ocorre que a voz do povo costuma conter erros – como no exemplo, que eu citei acima, de evitar comer manga com leite. Muitas vezes, a voz do povo é simplesmente a voz da ignorância ou do medo, como, por exemplo, quando os judeus clamaram para que Jesus fosse crucificado e um bandido (Barrabás) fosse solto (Lucas capítulo 23, versículos 13 a 25).  
A voz do povo é imperfeita pois é simplesmente a soma das vozes de inúmeras pessoas, todas elas imperfeitas. Assim, a voz do povo, na maioria das vezes, não está certa. Por exemplo, no começo do século passado, no Rio de Janeiro, o médico Oswaldo Cruz liderou uma campanha para a vacinação da população contra a febre amarela, doença que matava muita gente. O povo se revoltou porque achava que a vacina fazia mal (por causa da reação gerada quando se tomava a vacina) e isso gerou uma situação política muito complicada.
Outro exemplo importante ocorreu durante o nazismo, quando multidões na Alemanha e na Áustria pediram que o povo judeu fosse perseguido, demonstrando total falta de humanidade – e por causa disso muita gente inocente foi massacrada. 
Já a voz de Deus é sempre perfeita, amorosa e só fala a verdade. Portanto, frequentemente ela difere da voz do povo. E o que devemos fazer quando isso acontece? Simples, a Bíblia ensina que devemos prestar atenção na voz de Deus, naquilo que a Bíblia e os profetas ensinam.
Quando a voz do povo defende o que é justo – como liberdade e justiça para pessoas oprimidas – e concorda com o que a Bíblia fala, devemos sim nos juntar à voz do povo. Mas quando ela contraria a vontade de Deus, devemos ficar contra a voz das ruas, por mais difícil que isso seja.
A Bíblia fala sobre uma situação na qual os apóstolos Pedro e João receberam a ordem dos líderes judeus (falando em nome de todo o seu povo) para que não pregassem mais o Evangelho. Veja o que aconteceu (Atos dos Apóstolos capítulo 5, versículo 29):

Pedro e os outros apóstolos responderam: “É preciso obedecer antes a Deus do que aos homens!

É isso aí. Procure sempre seguir a voz de Deus e tome cuidado com a voz do povo, pois quase sempre ela não é boa conselheira.

Com carinho

2
Deixe um comentário

avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
GabrielaMurielle Recent comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Gabriela
Visitante
Gabriela

Muito bom, parabéns.

Murielle
Visitante
Murielle

Amando o site e suas postagens… Obrigada 🙂