VOCÊ JÁ OUVIU FALAR NO REINO DE DEUS?

0
239

Um dos temas preferidos de Jesus foi o Reino de Deus (Lucas capítulo 4, versículo 43). Sendo assim, cabe aqui a pergunta: qual a importância do Reino de Deus para o(a) cristão(ã)?

O conceito de reino

Jesus viveu  numa época em que as sociedades eram todas dirigidas por monarcas com
poderes absolutos. Portanto, para entendermos o que Jesus quis dizer quando falou no Reino de Deus, precisamos ter em mente esse modelo, muito diferente daquele em vigor em
muitos países modernos, como a Inglaterra, onde rei(rainha) é uma
figura meio simbólica, sem qualquer poder real.

Há cinco coisas que caracterizam um reino absoluto: o(a) governante (rei ou rainha), o território, a população, um conjunto de regras de vida (leis) e um aparato público (exército, coletores de impostos, polícia, etc) para sustentar o poder do(a) dirigente

Numa monarquia absoluta, o poder do rei(rainha) se faz sentir sobre determinado território, onde sua vontade é lei. E os limites desse território estão relacionados com o tamanho do poder do governante (por exemplo, do seu exército). Por isso, ao longo da história, nenhum rei(rainha) dominou todos os territórios da Terra, pois ninguém reuniu poder suficiente para tanto. Existiram reinos muito grandes, como o de Roma ou o dos persas, mas nenhum deles com extensão maior do que 10% do território mundial.

A população do reino é formada pelos(as) súditos(as), ou seja aquelas as pessoas que obedecem ao(à) rei(rainha). E pode ser formada por uma ou mais etnias – por exemplo, o Império Romano, aquele onde Jesus viveu, abarcou dezenas delas, com línguas e costumes diferentes. 

As leis do reino refletem a vontade do(a) soberano(a) e são por ele outorgadas à população do reino. Sendo assim, o(a) rei(rainha) tem poder para mudar ou descumprir as leis como bem entender. 

Agora, para garantir a estabilidade do seu governo, o(a) rei (rainha) precisa de um aparato público formado por soldados, juízes, burocratas, etc, para garantir que sua vontade seja cumprida em cada local do reino. Quanto mais eficiente e poderoso for esse aparato, maior será o domínio do rei sobre seus súditos e maior o território do reino (e sua população).

O reino de Deus

Levando em conta tudo que falei acima, é possível definir o Reino de Deus como todo local e grupo onde a vontade de Deus é cumprida. Isso pode acontecer numa pequena comunidade, numa cidade ou num território maior.  

As leis de Deus – sua vontade expressa para o ser humano – são aquelas registradas na Bíblia. Portanto, a população desse Reino é formada pelas pessoas que obedecem essa vontade, ou seja essas leis. Essas pessoas podem ser de qualquer etnia e/ou cultura.

Mas e quanto ao aparato que o rei precisa colocar para funcionar, visando fazer valer sua vontade? No caso do Reino de Deus, essa é a tarefa do Espírito Santo, cuja função é atuar junto a cada ser humano visando levá-lo a Deus. Também fazem parte dessa estrutura as comunidades cristãs (igrejas), os(as) sacerdotes (pastores e padres), etc, que ministram para os(as) fiéis.  

Qual é a importância do Reino de Deus?

Vou deixar que a própria Bíblia responda essa pergunta:

Porque o Reino de Deus consiste, não em palavra, mas em poder“. Paulo em 1 Corintios capítulo 4, versículo 20.

A que
compararei o Reino de Deus? É semelhante ao fermento que uma mulher
escondeu em três medidas de farinha, até ficar tudo levedado
“. Jesus, em Lucas capítulo 13, versículos 20 e 21.

“A lei e os profetas vigoraram até João; desde esse tempo, vem sendo anunciado o Evangelho do Reino de Deus, e todo homem deve se esforçar por entrar nele“. Jesus, em Lucas capítulo 16, versículo 16.

E à medida que seguirdes, pregai que está próximo o Reino de Deus“. Jesus, em Mateus capítulo 10, versículo 7

Esses textos revelam que o reino de Deus tem poder para transformar vidas e a sociedade, por ser o “fermento que leveda toda a massa”. 

Quando e onde a vontade de Deus é feita, o Espírito Santo age com poder e transforma a realidade do ser humano. A Bíblia está cheia de exemplos falando sobre isso. E também é possível ver esse tipo poder atuando no mundo hoje em dia, como, por exemplo, a mudança que a sociedade da Índia experimentou a partir do trabalho de Madre Teresa de Calcutá, ou o processo de reconciliação que a África do Sul viveu, depois do fim do apartheid, comandado por Nelson Mandela.  

A chegada do Reino de Deus se deu com a vinda de Jesus ao mundo. Esse evento modificou a forma de relacionamento do ser humano com Deus, antes pautado pelos ensinamentos da Lei dada a Moisés e registrada nos cinco primeiros livros da Bíblia. A partir de Jesus, o Evangelho (as Boas Novas) passaram a prevalecer. E as Boas Novas do Reino são a constatação e a fé que Jesus veio ao mundo para nos dar acesso a Deus, pois todo aquele que n´Ele crê, ganha a vida Eterna (João capítulo 3, versículo 16). 

Finalmente, gostaria de fazer mais um comentário: o Reino de Deus aqui na Terra é caracterizado por uma certa dissonância: “já, mas ainda não”. “Já” porque está implantado entre nós. O “ainda não” refere-se ao fato que a plenitude do Reino, ou seja sua influência sobre toda a Terra, somente acontecerá no final dos tempos, quando Jesus voltar. Até lá, vamos viver essa situação dupla.

Com carinho

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of