SERÁ QUE SUA ORAÇÃO NÃO FOI RESPONDIDA POR FALTA DE FÉ?

1
97

Há muitas orações não respondidas e as pessoas não gostam muito de falar sobre isso. Elas se sentem fracassadas espiritualmente quando passam por esse tipo de experiência. É claro que a falta de fé faz com que algumas orações não sejam respondidas, mas na maioria das vezes não é isso que acontece. Deus costuma ter razões muito boas para não atender boa parte dos pedidos que recebe. E às vezes os pedidos são atendidos sim, mas não da forma ou no prazo que as pessoas esperavam. É o que vamos detalhar a seguir:

Deus tem outra perspectiva de tempo
Deus opera numa perspectiva de tempo diferente da nossa. Assim, pode ser que o pedido venha a ser atendido num tempo diferente daquele que as pessoas esperam. Vejamos um exemplo:
Jesus passou uma noite em oração antes de escolher os doze apóstolos (Lucas capítulo 6, versículos 12 e 13), procurando orientação para fazer a melhor escolha. Mas não há como esconder o fato que os homens escolhidos por Jesus muitas vezes agiram mal. Por exemplo, fugiram no momento em que seu Mestre mais precisou do apoio deles, um deles (Judas) vendeu Jesus por 30 moedas e outro (Pedro) o negou de forma vergonhosa.
A oração de Jesus parece não ter sido respondida. Mas, a história da igreja cristã comprova que os apóstolos tiveram sucesso. Em outras palavras, se fizermos uma radiografia da sua atuação na época da crucificação de Jesus, concluiremos que eles fracassaram. Mas a mesma radiografia, feita 30 anos depois, levará a conclusão bem diferente. A oração de Jesus foi respondida sim, mas em outra perspectiva de tempo.
A pessoa pediu a coisa errada
O apóstolo Paulo pediu que Deus lhe retirasse um “espinho” na carne. E recebeu como resposta que a Graça lhe bastava (2 Coríntios capítulo 12, versículos 7 a 10). Esse pedido do apóstolo nunca foi atendido.
O próprio Paulo reconheceu que não teria sido mesmo bom para ele ficar livre do tal “espinho” (versículo 7), pois ele teria se deixado levar pelo orgulho e pela vaidade. Não podemos esquecer que o apóstolo liderava um ministério de muito sucesso, realizando muitas curas, libertações e até ressuscitando pessoas, sem contar as inúmeras conversões. É fácil a pessoa se perder numa situação dessas, como testemunham inúmeros exemplos na história da Igreja Cristã. O “espinho” na carne manteve o apóstolo humilde e dependente da Graça de Deus.
Esse exemplo demonstra bem uma das causas mais comuns para as orações não respondidas: pedidos que não são adequados para quem pede. E Deus precisa recusar esses pedidos, mesmo quando feitos com muita fé. De forma similar ao que os pais fazem quando as crianças pedem para receber coisas que não são boas para elas mesmas. Simples assim.
A pessoa pediu da forma errada

Certo dia Jesus estava orando em determinado lugar. Tendo terminado, um dos seus discípulos lhe disse: “Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou aos discípulos dele”. Ele lhes disse: Quando vocês orarem, digam… Lucas capítulo 11, versículos 1 e 2

Por que os discípulos pediram a Jesus que os ensinassem a orar? Não podemos esquecer que o judaísmo é uma religião onde existem diversas orações prontas, ensinadas às pessoas desde crianças. Portanto, o pedido dos discípulos não foi feito por não saberem o que dizer para Deus.
Outra possível razão seria os discípulos pensarem que a ocasião exigisse uma oração especial, que ainda não fizesse parte da sua rotina religiosa. Isso é muito comum no judaísmo, pois, ao longo da história, os rabinos criaram muitas orações adequadas às mais diferentes situações. Mas esse não parece ter sio o caso, pois não havia nada de especial na circunstância que os discípulos estavam vivendo. 
Portanto, sobra uma única alternativa: os discípulos sabiam que Jesus orava de forma diferente e queriam o mesmo para si. De fato, Jesus orava sem repetir fórmulas prontas, sem recitar palavras que acabavam não tendo muito significado. Ele orava do coração, demonstrando intimidade com Deus.
E Jesus atendeu o pedido ensinando-lhes a oração hoje conhecida como “Pai Nosso. Nela incluiu todos os princípios que devem ser seguidos para uma boa oração. Isso inclui louvar a Deus, reconhecer as próprias fraquezas, fazer apenas os pedidos necessários, etc.
Agora, vejam o que Jesus disse em Mateus capítulo 6, versículos 6 e 7 (pouco antes de ensinar a oração do Pai Nosso):

…E quando orarem, não fiquem sempre repetindo a mesma coisa, como fazem os pagãos. Eles pensam que por muito falarem serão ouvidos. 

Jesus advertiu contra o hábito comum (naquele tempo como hoje em dia) de ficar repetindo fórmulas prontas (e aí se inclui até o “Pai Nosso”), sem nem entender bem o que se está dizendo e/ou sem nem prestar atenção nas palavras. O que nos permite concluir que orações feitas mecanicamente dificilmente são respondidas. Como também não são as orações feitas de forma desrespeitosa, com desatenção, etc.

Deus tem coisa melhor preparada
Certa vez Jesus orou pedindo pela unidade do povo cristão (João capítulo 17, versículos 20 a 23). Ora, essa não é a experiência vivida pela igreja – hoje existem dezenas de milhares de denominações que se dizem cristãs. Essa oração parece não ter sido atendida.

Nesse caso provavelmente Jesus pediu pela unidade espiritual e não pela manutenção de todo o universo de fiéis debaixo de um único “guarda-chuva” – seria uma organização gigantesca com cerca de 2,5 bilhões de seguidores/as.

Imagina como essa organização descomunal seria difícil de administrar – a igreja católica, que tem cerca de metade desse tamanho, já sofre demais com esse problema. Essa igreja gigantesca teria enorme burocracia, seria lenta em atender às necessidades das pessoas e assim por diante.

A parte dinâmica do cristianismo, hoje, é formada pelas igrejas independentes, onde a decisão é essencialmente tomada no local, de acordo com as necessidades da comunidade diretamente envolvida. Assim, o fracionamento da igreja cristã gerou agilidade e poder de adaptação. É claro que o custo disso foi a desunião do povo cristão, inclusive espiritual – não há como negar esse fato. Mas, é provável que os ganhos tenham válido à pena.

Conclusão
Há outras razões para que as orações não sejam respondidas por Deus, além daqueles que resumidas aqui. Esse é um assunto bastante complexo. Mas os exemplos apresentados já demonstram que não é possível atribuir a falta de resposta às orações apenas à falta de fé – essa é uma explicação simplista.

Portanto, quando sua oração parecer não ter sido respondida, procure analisar o que aconteceu. Estude casos na Bíblia cujas circunstâncias sejam similares às que você está vivendo e procure entender como Deus agiu naquelas oportunidades. E, se ainda assim, você não entender bem as razões de Deus, confie que Ele está fazendo o melhor por você.

Com carinho

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Vera Recent comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Vera
Visitante

Com fé mais tarde ou mais cedo as nossas orações são respondidas.
Gostei de ler o artigo.