POBRE DIA DE AÇÃO DE GRAÇAS

0
703

Estamos comemorando o dia mundial de ação de graças. Essa tradição nasceu nos Estados Unidos e que acabou se espalhando por muitos países.  Lá é chamada de “Thanksgiving Day”. No Brasil, sua comemoração fica restrita às igrejas evangélicas – na minha igreja sempre fazemos uma grande comemoração.

Infelizmente, há uma grande transformação para pior na comemoração do dia de Ação de Graças. Nos Estados Unidos, essa comemoração virou uma oportunidade para comer um farto almoço em família, que precisa incluir peru assado, e depois ver programações especiais na televisão. Bebe-se muito também.

E o dia seguinte, a chamada “sexta feira negra” (“black friday”), é quando o comércio faz promoções inacreditáveis, atraindo multidões de consumidores ávidos por aproveitar os preços baixos. E essa tradição está começando a pegar no Brasil também.

Comida e bebida em excesso, programação especial na televisão e grandes descontos para incentivar o consumo, a comemoração do dia de Ação de Graças está cada vez mais se afastando do seu propósito inicial, que é agradecer as bênçãos recebidas de Deus. Há cada vez menos orações, louvores e leituras bíblicas voltadas a demonstrar gratidão a Deus. As outras coisas tornaram-se muito mais importantes, acabaram virando a verdadeira razão para comemorar.

O mesmo está acontecendo com a comemoração do Natal, que acabou totalmente desvirtuada. Essa data, originalmente, era destinada a comemorar o nascimento de Jesus. A festa era para Ele e essa era a justificativa para enfeitar as casas e reunir a família – ler a Bíblia, cantar músicas especiais e encenar contos de Natal. Mas, o Natal acabou virando a festa do comércio: todo mundo nas ruas para comprar presentes, depois uma ceia no dia 24, com muita comida e bebida, e a distribuição dos presentes. E nada de lembrar de Jesus, exceto no presépio, nos poucos casos em que ele se faz presente.

A Páscoa, a data mais importante da cristandade, pois comemora a morte de Jesus na cruz e sua ressurreição, vai pelo mesmo caminho. Ao invés das pessoas meditarem sobre o significado do sacrifício de Jesus, virou o dia para comer chocolate. Quem dá as cartas é o “coelho” e, no máximo, as pessoas assistem um filme velho sobre a vida de Jesus na televisão.

O fato é que as datas religiosas importantes acabaram engolidas pelo comércio e pelo lazer. As práticas seculares desvirtuaram totalmente o significado do que deveria ser comemorado na Páscoa, no Natal e no Dia de Ação de Graças.

Amanhã, Dia de Ação de Graças, mesmo não sendo feriado no Brasil, lembre-se de dedicar uns bons minutos para agradecer a Deus as bençãos recebidas, juntando-se a milhões de pessoas que, felizmente, ainda não perderam o sentido original da comemoração. 

Somos totalmente dependentes das bençãos de Deus – afinal, tudo que existe foi criado e é mantido em funcionamento pelo seu poder. Simples assim.

E quando somos sinceramente gratos, deixamos de colocar a nós mesmos como o centro e a razão para tudo que existe. E encontramos, em Deus, um novo sentido, muito maior e mais profundo, para nossas vidas. 

Com carinho

Total Views: 2092 ,