O ESPINHO NA CARNE DO APÓSTOLO PAULO

23
19671

Para que não me ensoberbecesse com a grandeza das realizações, foi-me colocado um espinho na carne, Mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. Por causa disso, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim. Então Ele me disse: a minha Graça te basta…”  2 Coríntios capítulo 12 versículos 7 a 10 

O “espinho na carne” que Deus deu a Paulo sempre gerou muitas dúvidas, tanto em relação à causa do sofrimento do apóstolo, como também quanto à necessidade dele passar por esse tipo de tormento.

Inúmeras teorias foram propostas, a maioria delas concluindo que o tal “espinho” foi uma doença – malária, epilepsia, problema nos olhos, etc. Alguns estudiosos(as) falam de problemas emocionais e há quem tenha chegado a especular sobre um problema de natureza sexual.

Essas explicações nunca me convenceram muito. Sempre pensei que essas teorias não se casam bem com aquilo que o apóstolo descreveu, a o falar do seu ministério. Afinal, Paulo foi homem de grande coragem pessoal, que passou sem pestanejar por naufrágios, prisões e fome (2 Coríntios capítulo 11, versículos 16 a 33). E nunca se impressionou com dificuldades terríveis, como fez com o tal “espinho”.

Penso que um problema que teve impacto tão significativo na vida de Paulo precisaria estar diretamente relacionado com aquilo que ele mais prezava: seu ministério de evangelização e pastoreio de igrejas.

Até que li um estudo, publicado na revista “Bible Review” que finalmente me convenceu, já que sua conclusão vai exatamente na direção que entendo ser a certa: buscar a resposta do enigma no ministério de Paulo. E é essa explicação que vou dividir com vocês nesta postagem.

E começo lembrando que Paulo fez, nos capítulos 11 e 12 de 2 Coríntios, uma ampla discussão sobre suas fraquezas. No início do capítulo 11 ele falou dos “falsos profetas” – os líderes religiosos que desviavam os cristãos do caminho certo e eram verdadeiros enviados de Satanás (versículos 13 a 15).

Ora, há  precedentes no texto bíblico chamar pessoas inimigas do povo de Deus de “espinhos” que incomodam – veja, por exemplo, Números capítulo 33, versículo 55. Portanto, parece ser natural buscar entre os “falsos profetas” o “espinho” na carne de Paulo.

E essa explicação encontra também suporte na constatação que, logo após falar que seu “espinho na carne” era um mensageiro de Satanás (ver texto acima), Paulo voltou a citar os “falsos profetas” (capítulo 12, versículos 11 e 12), deixando claro que uma coisa estava ligada à outra.

Será que Paulo sofreu mesmo algum tipo de perseguição desse tipo? Sim. E os relatos da Bíblia registram que, quando ele tentava plantar uma nova igreja cristã, durante suas viagens missionárias, sempre enfrentava oposição de um grupo de pessoas que procurava desacreditar seu trabalho. Há inúmeras referencias a esse tipo de situação, como, por exemplo, em Atos dos Apóstolos capítulo 13, versículos 50 a 52; capítulo 14, versículos 2 a 6 e 19 a 22;  e capítulo 17, versículos 5 a 9.

Ora, uma oposição tão constante não aconteceu por acaso. Ela foi obra de um grupo de pessoas que detestava o ministério de Paulo e se organizou para atrapalhar seus passos (Gálatas capítulo 1 versículo 7; capítulo 5, versículo 12).

Esse grupo deve ter tido um líder forte e, provavelmente, é a essa pessoa que Paulo se referiu como seu “espinho” na carne. Esse homem tentava continuamente atrapalhar o ministério do apóstolo e lhe causava enorme incômodo.

Por três vezes, Paulo pediu que Deus removesse esse homem, fonte de tanto tormento, frustração e embaraço, do seu caminho. Mas, Deus respondeu que não ia fazer isso e sua Graça seria suficiente – já perto do final da sua vida, Paulo reconheceu que Deus sempre o apoiou (2 Timóteo capítulo 3, versículos 10 e 11).

Quem perseguia Paulo? O próprio apóstolo falou sobre isso, em 2 Corintios capítulo 11, versículos 19 a 23: eram judeus (hebreus), convertidos ao cristianismo na Jerusalém, mas provavelmente não obedientes à orientação de Tiago, irmão de Jesus, líder daquela igreja.

A razão para o ódio desses homens contra Paulo é simples: viam-no como um herege, pois o apóstolo defendia que as pessoas não precisavam seguir os mandamentos da lei Mosaica – por exemplo, circuncisão dos homens ou se privar de comer certos alimentos – para poder seguir o cristianismo. Para Paulo, basta a fé em Jesus para fazer da pessoa um(a) cristão(ã), posição que acabou prevalecendo na igreja cristã. 

O que aconteceu com Paulo não é incomum no meio cristão – já aconteceu com muita gente boa, como Lutero, Wesley e Martin Luther King. E vai continuar a acontecer. 

É comum que pessoas cristãs cometam o erro de atrapalhar o trabalho dos enviados por Deus. E quem atrapalha a Obra de Deus, mesmo que com a melhor das intenções, torna-se instrumento de Satanás – foi isso que aconteceu com os amigos de Jó. 

Pessoas bem intencionadas, mas divorciadas da vontade de Deus, acabam cometendo erros terríveis. E foi assim que aconteceram a Santa Inquisição, a conversão de judeus à força na Espanha e em Portugal, a caça a mulheres apontadas como bruxas, nos Estados Unidos e tantos outros episódios que envergonham o cristianismo. E é o mesmo fenômeno que explica o “espinho” na carne que tanto incomodou o apóstolo Paulo.

Com carinho

23
Deixe um comentário

avatar
17 Comment threads
6 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
3 Comment authors
Vinicius MouraMarcos GouveaLuis VieiraUnknownLuana Braga de Carvalho Recent comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Marcos Gouvea
Visitante

Compartilho, dessa teoria proposta nesse estudo seguindo essa fonte que citou… Grato… ABS…

Marcos Gouvea
Visitante

Olá, paz, você pode compartilhar o nome do livro que disse ter lido para chegar a essa conclusão, compartilho dá sua tese, interpretando os termos em grego… Grato…

Anônimo
Visitante
Anônimo

muito abençoado esse estudo DEUS te abençoe em nome de jesus

Unknown
Visitante

Paulo tenga irmão

Anônimo
Visitante
Anônimo

Sou diácono dee uma igreja na minha cidade e é impressionante o que estão fazendo com o evanhelho por aqui. Tenho.programa na rádio e combato essas bestas preguiçosas que pregam heresias e roubam a fé lesando a consciência das pessoas com campanhas mentirosas falando em nome de Deus e tirando dinheiro das pessoas se preocupando apenas com as coisas materiais dessa vida enquanto a bíblia me diz que oo Filho do Homem não tinha nem aonde reclinar a cabeça. Melhor é que esses Edys Macedo's do evangelho vão em busca deuma real conversão e se arrependam dessa hipocrisia quue pregam… Read more »

Anônimo
Visitante
Anônimo

Sou diácono dee uma igreja na minha cidade e é impressionante o que estão fazendo com o evanhelho por aqui. Tenho.programa na rádio e combato essas bestas preguiçosas que pregam heresias e roubam a fé lesando a consciência das pessoas com campanhas mentirosas falando em nome de Deus e tirando dinheiro das pessoas se preocupando apenas com as coisas materiais dessa vida enquanto a bíblia me diz que oo Filho do Homem não tinha nem aonde reclinar a cabeça. Melhor é que esses Edys Macedo's do evangelho vão em busca deuma real conversão e se arrependam dessa hipocrisia quue pregam… Read more »

Anônimo
Visitante
Anônimo

Gostei muito das respostas em relação ao espinho de paulo,me ajudou bastante muito obrigado.
Gilson Gomes de Morais

Luana Braga de Carvalho
Visitante

Foi de grande ajuda. Obrigada.

Morena Matos
Visitante

então o espinho na carne eram as pessoas que perseguiam a paulo?
no caso quem liderava essas pessoas?

Vinicius Moura
Visitante

O meu estudo tentou mostrar que essa é a hipótese mais provável. Mais do que algum tipo de doença.

Não sabemos os nomes das pessoas que perseguiram Paulo. Mas certamente eram líderes religiosos judeus (escribas e sacerdotes), incomodados com o cristianismo. Por isso Paulo teve tantos problemas para conseguir pregar nas sinagogas e se fazer ouvir.

Luis Vieira
Visitante
Luis Vieira

Em Galatas 4:14 Paulo relata que o povo da igreja de Galacia não o desprezou por estar doente e que o seu estado de saúde foi uma dura prova para eles. Ou seja Paulo estava passando por problemas de saúde, mas não posso confirmar que é o espinho na carne.
Abraço e a paz do Senhor

Morena Matos
Visitante

então o espinho na carne eram as pessoas que perseguiam a paulo?
no caso quem liderava essas pessoas?

Morena Matos
Visitante

então o espinho na carne eram as pessoas que perseguiam a paulo?
no caso quem liderava essas pessoas?

Paulo Jorge Ramos
Visitante

Saudações,
envio informção sobre a conversão do Apóstolo Paulo:
http://quem-escreveu-torto.blogspot.pt/2013/02/actos-dos-apostolos-conversao-de-paulo/
Obrigado

Marcos José
Visitante

o espinho nacarne de paulo

Anônimo
Visitante
Anônimo

Não entendi sua pergunta.

Vinicius

Marcos José
Visitante

arespeito do espinho na carne de paulo . eu queria uma resposta . eu tivesse menas duvida . sobre esse assunto

Richard Ribeiro
Visitante

Muito bom esse estudo, bem diferente de tudo que eu já tinha lido ou ouvido falar. Muito coerente. Deus te abençoe!

Anônimo
Visitante
Anônimo

Oi Vinicius! A PAZ DO ''SENHOR''!!! eu já tinha lido o soar das trombetas mês passado. Obrigada, por falar. sempre acompanho, a cada post é uma leitura. fique na paz. Camila Leite.

Anônimo
Visitante
Anônimo

Bom dia! Vinicius, foi de muitíssimo proveito para mim este estudo sobre o espinho na carne de Paulo, realmente muitos pastores interpretam, capítulos da Bíblia de forma diferente, o que causa uma certa confusão na mente das pessoas. Vou tentar, relembrar um fato que aconteceu comigo a algum tempo atrás. Certa vez fui ao culto onde na pregação o pastor citou ''É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de ''Deus'' Mateus 19:24,. Então ele explicou que isto significava que assim como seria impossível um camelo (animal) passar no fundo… Read more »

Anônimo
Visitante
Anônimo

Cara Camila Você tem razão. É impressionante como os pregadores complicam aquilo que é simples e tentam encontrar significados que não existem. Por exemplo, no caso que você citou, a explicação mais provável é que a palavra que Jesus usou não tenha sido "camelo" e sim corda, que são parecidas na língua em que Ele falava. Aí o sentido fica fácil de entender, pois uma corda é um fio grosso que não consegue passar pelo fundo de uma agulha. Eu já fiz uma postagem sobre o muros de Jericó – veja "O soar das trombetas" -, publicada no início de… Read more »