FARISEUS, ONTEM E HOJE

1
3865

O ministério de Jesus aqui na terra não foi tranquilo já que Ele enfrentou a hostilidade de diversos grupos de judeus, como fariseus e saduceus. E foi essa hostilidade que levou Jesus a ser preso e crucificado.

Os fariseus no tempo de Jesus
Os grupos hostis a Jesus eram bem diferentes entre si. Havia o grupo formado pelos principais sacerdotes e líderes religiosos judeus, conhecidos como saduceus. E existia também outro grupo, mais numeroso, os fariseus, formado por homens que buscavam cumprir com rigor a Lei Mosaica, conforme ela é apresentada na Torá (os primeiros cinco livros do Velho Testamento). E é sobre os fariseus que eu gostaria de falar hoje.

Os fariseus eram grandes estudiosos da Lei e por isso alguns deles são frequentemente referidos nos Evangelhos como “intérpretes” ou “doutores” da Lei”. Esse grupo tinha divergências teológicas importantes com os saduceus – por exemplo, os fariseus acreditavam na ressurreição no final dos tempos, enquanto os saduceus não acreditavam nisso.

Os fariseus acabaram por se tornar aos olhos do povo  judeu os guardiões da Lei. O povo costumava recorrer aos  “doutores” da Lei para tirar dúvidas e saber se alguém estava ou não transgredindo os mandamentos divinos.

É por causa disso que quase todas as discussões teológicas envolvendo Jesus tiveram os fariseus como ponto de partida e não com os sacerdotes. E a raiz dessas discussões é a forma diferente como Jesus interpretava a Lei –  Ele privilegiava o aspecto espiritual dos mandamentos e não seu cumprimento formal e as aparências, como faziam os fariseus.

Infelizmente, os fariseus causaram mais mal do que bem para o povo judeu. No afã de garantir que a Lei não fosse violada, acabaram por aprisionar as pessoas na “camisa de força” formada por um extenso, e confuso conjunto de regras de comportamento. Apenas para garantir a obediência ao mandamento de observar o sábado, por exemplo, foram estabelecidas quase uma centena de regras.

As pessoas tinham que obedecer um grande conjunto de regras e passavam suas vidas sob os olhares vigilantes dos fariseus, e quem descumpria alguma  lei era discriminado socialmente e até punido.

Mas, a influência negativa dos fariseus não acabou no legalismo. Muitos deles eram hipócritas, pois exigiam das pessoas um comportamento que eles mesmos frequentemente não seguiam. O que importava mesmo para muitos  fariseus eram as aparências.

E para não precisar cumprir certas regras de comportamento que impunham aos outros, os fariseus frequentemente recorriam a subterfúgios. Por exemplo, Jesus citou o caso de alguns fariseus que, para fugir da obrigação de ajudar financeiramente os próprios pais, alegavam ter prometido seus bens para o Templo de Jerusalém.

Em conclusão, os fariseus seguiam uma religião que, ao invés de libertar o ser humano, escravizava as pessoas. E Jesus se insurgiu contra esse estado de coisas (por exemplo, ver Lucas capítulo 12, versículos 1 a 12).

Essa foi a razão pela qual os fariseus passaram boa parte do ministério de Jesus criando “pegadinhas” teológicas, para poder acusá-lo de heresia. Por exemplo, certa vez perguntaram a Jesus se seria justo que os judeus pagassem impostos aos romanos.  Se Jesus dissesse que sim, poderia ser acusado de colaboracionista com os dominadores. E que dissesse não, poderia ser denunciado aos romanos por instigar uma revolta. Jesus saiu-se brilhantemente dessa “pegadinha”, respondendo o seguinte: “dai a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus” (Marcos capítulo 12, versículos 13 a 17).

Os fariseus hoje em dia
A igreja evangélica hoje em dia, infelizmente, também tem vários “fariseus”.  Refiro-me aos líderes religiosos/as que ficam estabelecendo regras de comportamento para as outras pessoas e cobrando seu cumprimento. 

Essas regras podem alcançar diversas áreas das vidas das pessoas, como a forma de se vestir, os lugares que podem frequentar, o que lhes permitido fazer para se divertir, como podem se relacionar com o sexo oposto e assim por diante. Em algumas igrejas, são tantas as regras e tal o rigor na sua aplicação, que as pessoas ficam sufocadas, tornando-se verdadeiras prisioneiras.

Os “fariseus” não acabaram nos tempos de Jesus, o que é uma pena. Eles mudaram de roupagem e estão aí, bem vivos e influentes, causando o mesmo tipo de estrago que causaram dois mil anos atrás. Então, muito cuidado com eles.

Concluindo, continua a valer a advertência que Jesus fez tanto tempo atrás:

Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês fecham o Reino dos céus diante dos homens! Vocês mesmos não entram, nem deixam entrar aqueles que gostariam de fazê-lo. Mateus capítulo 23, versículo 13

Com carinho

Total Views: 125 ,
2 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Most Voted
Newest Oldest
Inline Feedbacks
View all comments
José Ricardo

aleuia, louvado seja o Altissimo.