E QUEM CRIOU O CRIADOR?

0
2268

Mãe, se Deus criou o mundo, quem criou Deus?” Foi essa a pergunta que uma adolescente esperta, filha de uma amiga, fez para a mãe. E a mãe ficou sem saber o que responder. Pediu tempo e felizmente decidiu procurar auxílio técnico – atitude muito melhor do que dizer uma bobagem ou fugir da pergunta. 

Frequentemente enfrentamos “saias justas” – perguntas teológicas difíceis de responder – como essa. Os(as) jovens hoje têm muito acesso a informações científicas e culturais e sua curiosidade natural gera esse tipo de questionamento. São também provocados(as) por professores(as) e colegas a justificar sua fé em Jesus. E precisam de respostas adequadas. 

Infelizmente, as igrejas não preparam as pessoas para defender a própria fé e por causa disso elas não costumam saber responder perguntas difíceis, mas perfeitamente razoáveis. E o pior é que as respostas existem, basta saber onde encontrá-las.

A título de exemplo vou mostrar como aquela mãe poderia ter respondido para sua filha. Trata-se de um raciocínio em dois passos. Faça um esforço para acompanhá-lo, pois você precisa se acostumar com esse tipo de questão.

Tudo que teve início teve uma causa

Começo por um princípio bem conhecido: tudo que teve início precisa ter tido uma causa que justifique esse início

E isso faz todo sentido lógico. Afinal, se alguma coisa ou algum ser não existia antes e passou a existir depois, foi necessário que alguma agente tenha atuado para dar origem ao que aconteceu. Por exemplo, se uma pintura foi criada, foi porque um artista fez o trabalho necessário. Se uma planta germinou, um agricultor lançou uma semente no solo. Se uma infecção apareceu, houve uma bactéria responsável pela contaminação. E assim por diante.

Sabemos que o universo teve início – a explosão de um “ovo” cósmico conhecida como “Big Bang”. Logo, foi preciso haver um agente externo ao universo para dar lugar a essa origem (chamamos esse agente de Deus). Não seria razoável pensar que o universo surgiu do nada, formou-se sozinho, sem qualquer ação externa.

Tempos atrás, a revista Época publicou uma entrevista com um físico que defendeu exatamente a ideia absurda da auto-criação do universo – cientistas também dizem bobagens, pode ter certeza disso. Tentou justificar sua tese afirmando que existia uma “sopa” de partículas subatômicas flutuando por aí e elas, de alguma forma, acabaram formando o universo. Mas quando lhe perguntaram de onde vieram as tais partículas subatômicas, ele ficou sem resposta.

Nem os mágicos fogem da regra que estabelece uma causa para tudo que tem início, pois quando tiram um coelho da cartola, foi o seu ajudante quem escondeu o animal ali…

Deus teve um início?

O segundo passo do raciocínio lida com outra questão, paralela à primeira: será que Deus teve início? Se teve, é razoável imaginar que houve um criador para Ele. 

A Bíblia explica que Deus é eterno, isto é sempre existiu e sempre existirá. Em outras palavras, Deus não teve início e não foi criado. Logo, não é preciso encontrar um criador para Deus – essa é a resposta para a jovem que citei no começo deste texto.

Alguém ainda poderia questionar: como justificar que Deus é eterno sem usar a Bíblia? Essa pergunta faz todo sentido porque se a pessoa não é cristã não vai mesmo aceitar argumentos baseados na Bíblia. 

A resposta para isso é que o agente criador do universo precisa ser eterno. E a razão dessa afirmação nasce na Teoria da Relatividade Geral do famoso físico Albert Einstein. Ele mostrou que o universo tem quatro dimensões, três delas são físicas (largura, altura e comprimento) e a quarta é o tempo. Essas quatro dimensões formam o conhecido “espaço-tempo” aceito hoje em dia por todos os físicos. 

Ora, é óbvio que quem criou as três dimensões físicas do universo também criou o tempo pois essas duas coisas andam juntas. E quem criou o tempo está fora dele e não pode ser afetado por ele. 

Se quem criou o universo não pode ser afetado pelo tempo, estamos falando de um agente imutável e eterno. Simples assim. Exatamente o que a Bíblia diz a respeito de Deus. Em outras palavras, não é só a Bíblia que fala num criador eterno. A mesma conclusão é obtida a partir das premissas da ciência. 

Concluindo, não há mistério. Trata-se de uma questão complexa, é verdade, mas isso seria mesmo de se esperar. Afinal, Deus é um Ser muito especial e nada do que se refere a Ele pode ser trivial.

Com carinho

Total Views: 4558 ,