COMO APLICAR HOJE AS LEIS DO VELHO TESTAMENTO

0
419

O Velho Testamento contém um extenso conjunto de regras de vida (leis) dadas por Deus para o
povo de Israel, através de Moisés. Esse conjunto é conhecido como “Lei
Mosaica” ou simplesmente “Lei”.

A Lei foi transmitida por Deus depois da saída de Israel do cativeiro no Egito, conforme o relato dos livros Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. Assim, é importante ter em mente que o povo de Israel já tinha presenciado inúmeros milagres – como as dez pragas lançadas contra o Egito, a abertura do Mar Vermelho e outros – antes de Deus transmitir seus mandamentos. Em outras palavras, a Lei foi dada para um povo que já tinha experimentado a Graça de Deus de forma intensa.

Portanto, o povo de Israel sabia que a obediência à Lei não era um meio para garantir as bençãos de Deus, pois elas já vinham sendo derramadas. O objetivo da Lei era outro: estabelecer um padrão de vida que tornasse Israel uma sociedade onde os valores de Deus estivessem refletidos e que esse povo servisse de testemunha diante das outras nações.

Deus deu um chamado missionário para Israel (Levítico capítulo 18, versículos 3 e 4 e Deuteronômio capítulo 4, versículos 6 e 8) e foi exatamente por isso que o Messias, Jesus, nasceu desse povo.

 

A Lei Mosaica continua válida? 

Precisamos continuar a seguir a Lei Mosaica hoje em dia? A posição predominante no meio cristão é: depende do mandamento do qual se está falando. Somente os mandamentos validados no Novo Testamento permanecem em vigor, continuando a ser obrigatórios para os(as) cristãos(ãs). Os demais não.

Alguns mandamentos dados a Israel não foram validados pelo Novo Testamento pois se referem a questões que não mais se aplicam à realidade depois de Jesus. E é fácil de entender isso.

Por exemplo, alguns mandamentos do Velho Testamento, como aqueles relacionados com o sistema de sacrifício de animais que acontecia no Templo de Jerusalém, retratavam uma realidade espiritual que deixou de existir depois da vinda de Jesus (Hebreus capítulo 5, versículos 1 a 10).

O sistema de sacrifícios era usado para obter perdão dos pecados das pessoas e essa necessidade foi totalmente cumprido por Jesus Cristo na cruz – o sacrifício final e último – e não mais se faz necessário. Assim, todo o extenso conjunto de mandamentos que trata dessa questão no Velho Testamento não tem mais sentido para os(as) cristãos(ãs).

Outro exemplo semelhante é a questão da separação dos alimentos entre puros e impuros, abolido com base no relato de Atos dos Apóstolos capítulo 10, versículos 1 a 22. O objetivo do mandamento original era caracterizar a separação entre Israel e os demais povos, o que foi superado a partir do ministério de Jesus – todo aquele(a) que aceita Jesus passa a fazer parte do povo de Deus (a Igreja cristã), não importa sua origem (Efésios capítulo 2, versículos 11 a 22).

Há leis que não mais têm validade porque deixaram de estar de acordo com as normas sociais vigentes – algumas práticas tratadas nessas leis seriam até consideradas ilegais hoje em dia, como é o caso da poligamia – leis desse tipo são culturalmente limitadas e somente aplicáveis em determinada época e local.

O Velho Testamento tratou da poligamias por que era uma realidade. E essa prática deixava as mulheres em condição vulnerável – elas podiam ser rejeitadas pelos seus homens pelos motivos mais insignificantes e não tinham qualquer direito. Assim, a Lei Mosaica procurou garantir um tratamento mais justo para essas mulheres, mas nada do que foi nela tratado é aplicável hoje em dia.

Há leis do Velho Testamento que se relacionam a práticas que continuam a existir, como o casamento. Mas é lógico que o casamento numa sociedade poligâmica não podia ser igual ao que praticamos hoje em dia – o nome é o mesmo, mas as situações são distintas. Dentre outras coisas, as esposas daquela época não tinham direitos iguais aos maridos, especialmente sobre filhos(as) e bens. A consequência lógica dessa constatação é que o rol de mandamentos do Velho Testamento relacionados com o casamento não pode ser diretamente aplicado à realidade atual.

Concluindo, há razões teológicas, sociais e legais para que alguns mandamentos incluídos no Velho Testamento não mais sejam aplicáveis aos(às) cristãos(ãs). Mas, cada caso deve ser analisado com cuidado, principalmente à luz do que fala o Novo Testamento.

Como usar
a Lei Mosaica hoje 

O tipo de mandamento sob consideração tem grande importância para estabelecer sua aplicabilidade nos dias de hoje. Vejamos isso em maior detalhe:

  • Leis
    Criminais
    : compreendiam ofensas sérias contra os fundamentos da sociedade israelita. A maioria era punida com a pena de morte para caracterizar sua seriedade – esses casos eram ligados direta ou indiretamente à violação de um dos Dez Mandamentos.
  • Leis civis: regulavam as disputas entre cidadãos no que se refere à terra, propriedades, etc. Estabeleciam as compensações em caso de danos a uma das partes.
  • Leis de família: envolviam questões como herança, casamento e divórcio.
  • Leis relacionadas com o culto: falavam do sistema de sacrifícios, do sacerdócio, das festas religiosas, etc.
  • Leis
    de compaixão
    : envolviam questões relacionadas com os pobres, os sem teto, as minorias étnicas, etc.

Como já vimos, os mandamentos relacionados com o culto não tem qualquer aplicação hoje em dia, por isso não seguimos os feriados judaicos, não fazemos mais sacrifícios, etc. Já os mandamentos de compaixão continuam a ter aplicabilidade.

Agora, mesmo que não possam ser mais aplicados, ainda assim os mandamentos da Lei Mosaica têm o que nos ensinar: precisamos entender a razão para sua existência e para não mais serem válidos.

 

E a melhor forma para entender essas questões é fazer algumas perguntas sobre o mandamento que estiver sendo analisado:

● Que tipo de situação o mandamento pretendia evitar?
● Que tipo de mudança na sociedade ou no comportamento humano aquele mandamento queria provocar?
● Que tipo de situação tornava o mandamento necessário?
● Quem seria protegido(a) pelo mandamento?
● Quem teria sua ação limitada pelo mandamento?
● Que valores morais foram priorizados pelo mandamento?
● No que o mandamento reflete o caráter de Deus?

O código de regras contido na Lei Mosaica deve funcionar como modelo de ética pessoal e social aplicável a todas as áreas da vida humana hoje em dia. Nele há prioridades claras estabelecidas por Deus como, por exemplo, a importância do amor ou a luta contra a injustiça social. E que essas questões têm precedência até sobre os rituais religiosos (1 Samuel capítulo 15, versículo 22 e Oseias capítulo 6, versículo 6).

Agindo assim estaremos usando os mandamentos dados no Velho Testamento, mesmo que não mais precisem ser seguidos ao pé da letra, para serem luz para nosso caminho (Salmo 19, versículos 7 a 10).

Com carinho

Deixe um comentário

avatar

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Subscribe  
Notify of