COMO AJUDAR QUEM ESTÁ SENDO DESTRUÍDO PELA TRISTEZA

0
719372

1 Samuel capítulo 1, versículos 1 a 18 conta a história de Ana, mãe do profeta Samuel. Esse é um dos melhores exemplos que conheço na Bíblia do tratamento do tema “tristeza”. A história de Ana traz grandes ensinamentos para quem deseja ajudar uma pessoa que esteja muito triste. 

Ana tinha um problema terrível: não conseguia ter filhos. Ora, naquela época, ser mãe era o principal papel de qualquer mulher, pois eram os filhos por ela gerados que iriam garantir a continuidade da linhagem do marido. Uma mulher infértil, portanto, não tinha valor e era considerada amaldiçoada por Deus.

O marido de mulher infértil tinha direito de se casar com outra mulher para gerar, com a segunda esposa, os descendentes de que precisava. Por isso, Elcana, marido de Ana, casou-se com Penina, que lhe deu vários filhos.

Assim, Penina acabou assumindo um lugar de destaque na família e se aproveitava disso para humilhar Ana, porque tinha ciúmes do amor que o marido demonstrava pela esposa infértil. E a vida de Ana tornou-se insuportável.

Certa vez, quando a família de Ana foi até o Tabernáculo (tenda usada para abrigar a Arca da Aliança antes do Templo de Jerusalém) para fazer os sacrifícios exigidos pela Lei, ela deixou-se ficar para trás, pois estava profundamente triste. Ficou ali, orando a Deus e falando do seu sofrimento. 

É interessante prestar atenção na forma como Ana orou: Ela repetia sempre o pedido que Deus se lembrasse dela e lhe desse um filho. E fez um compromisso com Deus: Se recebesse a benção pedida, dedicaria a criança ao serviço d´Ele. De certa forma, devolveria a criança a Deus. 

Eu já vi muitas pessoas fazerem compromissos com Deus, quando esperam receber uma benção, mas nunca vi alguém prometer devolver a Deus o que vier a receber d´Ele. Mas, foi isso que Ana fez.

O sacerdote Eli, que cuidava do Tabernáculo, viu Ana orando e se aproximou dela. E como Ana mal conseguia falar, ele achou que a mulher estava bêbada, julgamento profundamente injusto. O surpreendente é que Ana enfrentou Eli, coisa quase impensável naquela época, pois ela era uma simples mulher e ele um sacerdote importante. E assim Eli acabou aceitando as explicações de Ana e a abençoou. 

Quando Ana saiu daquele lugar, seu semblante já tinha mudado: Ela se sentiu ouvida por Deus e a tristeza foi embora. Com efeito, logo depois, Ana engravidou e meses depois deu à luz o profeta Samuel, que foi um dos mais importantes personagens da Bíblia. E, depois que a criança desmamou, Ana cumpriu sua promessa e a entregou para o sacerdote Eli (1 Samuel capítulo 1, versículos 19 a 28).

Vamos falar agora dos ensinamentos que a história de Ana traz quanto ao enfrentamento dos casos de tristeza. E estou falando daquele tipo de tristeza que pode destruir a vida de uma pessoa.  

E começo lembrando que tristeza é parte da vida humana, portanto, a tese que cristão(ã) não fica triste, defendida por muitos líderes cristãos, é bobagem. É um bom exemplo disso é a própria Ana, mulher temente a Deus e que ficou profundamente triste e a Bíblia não a critica por causa disso.

Agora, quando você vir uma pessoa triste e quiser ajudar, a primeira coisa a fazer é ter certeza que sabe o que deve dizer. Mesmo com a melhor das intenções, se você falar a coisa errada, como fez o sacerdote Eli com Ana, poderá causar um grande estrago.

Se você não souber bem o que falar, fique calado(a) – somente abrace quem está triste, mostre carinho e traga conforto para a pessoa pela sua simples presença física. 

E uma das coisas que você não deve falar é tentar mostrar para a pessoa triste todas as coisas boas que ela tem na vida e argumentar que, por causa disso, ela não há motivo para tanta tristeza. Isso não resolve o problema e só faz com que a pessoa triste se sinta culpada. 

Foi isso que Elcana tentou fazer, ao dizer para Ana que ele era um bom marido e valia mais que muitos filhos. E ele era de fato bom marido e provavelmente fazia mais por ela do que muitos filhos faziam por suas mães. Mas, isso não consolou Ana – não era isso que ela precisava.

Tristeza tem causas – no caso da Ana, por exemplo, a baixa auto-estima – e a vida da pessoa triste somente será restaurada quando ela superar as barreiras que enfrenta. E isso pode ser feito de duas formas. A primeira é resolvendo o problema – por exemplo, quando o desempregado consegue um novo emprego.

E a segunda forma da pessoa triste superar suas barreira é através da fé, como aconteceu com Ana. Quando a pessoa triste consegue reconquistar a esperança que tudo vai ficar bem, acreditando que Deus vai agir, normalmente a tristeza vai embora, como aconteceu com Ana.

Portanto, se você quer ajudar quem está triste, você pode, em primeiro lugar, colaborar para resolver (ou minimizar) o problema que aflige aquela pessoa. Em outras palavras, ajude no que estiver a seu alcance.

A outra coisa que você pode fazer pela pessoa que está triste é colaborar para reforçar sua fé. Você pode testemunha para ela outras situações onde Deus operou, mudando a vida de pessoas que você conhece. Pode também citar passagens bíblicas que apontam nessa mesma direção. Você ainda pode orar com a pessoa triste e ajudá-la a derramar seu coração na presença de Deus. E, finalmente, pode louvar a Deus junto com ela – nunca se esqueça que o louvor tem um poder enorme.

Concluindo, se você quer ajudar quem está muito triste, aproxime-se da pessoa, mas, só fale se souber o que deve dizer. Se puder fazer algo para eliminar ou minimizar o problema que a pessoa enfrenta, faça isso sem hesitação e sem esperar retribuição. 

E, sobretudo, ajude a pessoa a reforçar sua fé, testemunhando sobre a ação de Deus em outras vidas, estudando junto com ela passagens bíblicas aplicáveis àquele caso, orando e até louvando. 

Tenha certeza que você pode ajudar muito uma pessoa que esteja bem triste, se souber fazer as coisas certas.

Com carinho

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of