A LUTA CONTRA O AUTO-ENGANO

6
4825

Auto-engano é o processo pelo qual as pessoas se iludem quanto a quem são de fato. Todo mundo se auto-engana, portanto, fazer isso, em alguma medida, é da ordem natural das coisas. 

O processo mental que leva ao auto-engano tem dois lados: um bom (imprescindível até para a saúde mental das pessoas) e outro ruim. Quando o lado ruim cresce muito e predomina, como acontece na vida de muita gente, os problemas se multiplicam. É o que vou discutir a seguir:

O lado bom do auto-engano
O auto-engano funciona como uma forma de auto-proteção. As pessoas usam esse “mecanismo” para fugir das coisas difíceis, aquelas que não conseguem enfrentar. E um excelente exemplo é a morte. As pessoas não conseguem pensar nessa realidade inevitável. E se fizessem isso, provavelmente ficariam muito deprimidas. Assim, elas se auto-enganam e vivem como se a morte não fosse acontecer e até fazem piada sobre ela. 
O auto-engano também faz com que as pessoas acreditem ser capazes de fazer coisas que normalmente não estariam ao seu alcance. E isso leva as pessoas algumas vezes a praticar verdadeiras proezas. Por exemplo, em novembro de 2007, no município de Palmeiras (SC), o menino Riquelme dos Santos, de cinco anos, vestindo uma fantasia do Homem Aranha e se sentindo um super-herói por causa disso, resgatou um bebê de dez meses de dentro de uma casa em chamas.
Mas, infelizmente, o auto-engano costuma ter um lado muito negativo, que pode gerar consequências muito ruins. Vejamos alguns exemplos disso:
Um lado ruim do auto-engano: avaliar-se de forma irreal
O primeiro tipo tipo de situação ruim relacionada com o auto-engano ocorre quando as pessoas pensam ser melhores do que são de fato. Isto é, quando a avaliação que fazem de si mesmas está muito longe da verdade.
Na prática, todo mundo tem uma avaliação de si mesmo/a melhor do que a realidade. Por exemplo, uma pesquisa do jornal “O Globo”, de março de 2008, pediu aos entrevistados que dessem uma nota para si mesmos no quesito “respeito aos direitos humanos”. Em seguida, foi pedido que as pessoas dessem uma nota para o “brasileiro médio”.
Do ponto de vista científico, o resultado esperado era que as médias dos dois conjuntos de notas (dadas pelas pessoas para si mesmas e para o “brasileiro médio”) deveriam se aproximar muito. Mas, como as pessoas pensam ser melhores do que verdadeiramente são, 60% dos entrevistados deram para si mesmos notas entre 9 e 10, enquanto apenas 17% atribuíram essas notas para o “brasileiro médio”.
Agora, quando a diferença entre o mérito que a pessoa acha ter e a realidade se torna significativa, o problema pode se tornar sério. Por exemplo, é comum as pessoas se auto-enganarem ao acharem não ter muitos pecados ou, no máximo, cometer pecados leves. Bem lá no fundo, pensam não precisar se arrepender muito e/ou ter mérito acumulado junto a Deus. Pensam que está tudo certo, quando não está. 
E para reforçar esse sentimento frequentemente criam desculpas para acalmar suas próprias consciências e/ou manter uma boa imagem no meio social em que vivem. Por exemplo, elas se convencem que, ao cair em certa tentação, não causaram tanto mal assim. Cometeram um erro bem intencionado ou um pecadilho.
Outro tipo de desculpa comum é afirmar não ter tempo para se dedicar às coisas de Deus como gostariam. Essas pessoas se imaginam muito ocupadas com coisas que são muito mais importantes. Em outras palavras, elas dão a Deus prioridade baixa nas suas vidas e nem se dão conta disso. 
Outro lado ruim do auto-engano: dar-se importância demasiada
Muitas pessoas se acham mais importantes do que são. Imaginam ser imprescindíveis para a obra de Deus e/ou deter o verdadeiro conhecimento sobre Ele. Um bom exemplos é o fanático religioso que pensa conhecer melhor do todos a verdadeira “vontade” de Deus. E como a vontade de Deus deve prevalecer, essa tipo de pessoa pensa estar justificada em assumir qualquer atitude para garantir que essa vontade prevaleça. Vale crítica, ameaças e até cometer violência.
Foi exatamente assim que o apóstolo Paulo agiu, antes de se converter ao cristianismo. Ele foi um dos líderes de uma terrível perseguição movida aos cristãos, que resultou na morte de diversas pessoas, dentre as quais o diácono Estevão. Paulo agiu dessa forma por entender que os cristãos eram hereges. Pensava que era preciso proteger a “fé verdadeira” e aí se sentiu à vontade para cometer barbaridades.
Outro lado ruim do auto-engano: colocar a esperança em coisas erradas 
Há dois tipos de engano que se somam. Um deles é que determinadas coisas têm poder emanado de Deus. E o outro é ser possível manipular as bênçãos e o favor de Deus.
Há quem acredite em simpatias para trazer boa sorte ou siga rigorosamente o que diz seu horóscopo. Conheço um homem que, para trazer sorte, sempre passa seu aniversário no local estabelecido pelo seu astrólogo. Assim, a cada ano, viaja para um país diferente. Essa pessoa dá poder a algo que não tem qualquer influência real na sua vida, mas ela se auto-engana pensando estar protegida.
No meio cristão, é muito frequente o recurso a relíquias de pessoas consideradas santas, a água do rio Jordão, o solo da Terra Santa e assim por diante. As pessoas pensam que esse tipo de coisa de alguma forma canaliza o poder de Deus. Mas, Deus não atribui seu poder a coisas terrenas.
O que vemos na Bíblia é a contínua manifestação dos profetas contra o uso religioso de ídolos e artefatos construídos pelas mãos humanas. Alguém poderia perguntar: mas, não havia poder na arca da Aliança? Sim, havia poder aí, mas o poder não era da arca e sim do fato que Deus se fazia presente nela. Sem esse presença, a arca seria um objeto como outro qualquer.
E, ainda que algum objeto tivesse poder, nunca se poderia imaginar que seu uso poderia concorrer para manipular Deus, atraindo seu favorecimento e/ou suas bênçãos. Deus não é uma pessoa que pode ser enganada ou influenciada. As pessoas nunca deveriam esquecer com quem estão lidando: um ser de poder e majestade inacreditáveis.
A luta contra o auto-engano
Acho que esses exemplos são suficientes para demonstrar como o auto-engano é perigoso na vida das pessoas e que é importante lutar contra ele.  Agora, não se iluda: essa é uma luta difícil. Trata-se de uma batalha diária.
A primeira coisa a fazer é tomar consciência do problema, coisa que procurei ajudar a fazer com este texto. E a segunda é convocar a ajuda do Espírito Santo. Sem Ele, não é possível vencer essa luta e a derrota será certa. 
O Espírito Santo é quem acompanha você diariamente e fala à sua mente toda vez que você se desvia do caminho certo. Ele é como uma pequena “voz” que fica incomodando.
No famoso desenho animado “Pinocchio”, essa voz incômoda é representada por um grilo falante que incomoda o boneco quando ele vai fazer algo errado. No filme, muitas vezes Pinocchio deixa de ouvir os conselhos do grilo falante e quebra a cara. Só quando ele aprende a seguir os conselhos certos é que sua vida muda para melhor.
Você precisa aprender a ouvir o Espírito Santo quando Ele alertar que você está caindo em auto-engano. Quando Ele alertar que você está pondo sua esperança na coisa errada, quando está adquirindo certezas que não deveria ter ou mesmo criando desculpas esfarrapadas para seus erros.

Mas, isso só vai acontecer quando você adquirir intimidade com Deus, quando construir uma relação sincera e profunda com Ele. Há uma outra postagem aqui no site onde explico como fazer isso em detalhe (veja mais).

Com carinho

6
Deixe um comentário

avatar
3 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Vinicius MouraDennis Sousa Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Dennis Sousa
Visitante
Dennis Sousa

Sempre claro nas suas colocações. Obrigado pelo texto, que Deus continue abençoando sua mente.

Vinicius Moura
Visitante

A Bíblia ensina que, se você se arrepender sinceramente, e não repetir o comportamento anterior, Deus perdoa. Ele não vai ficar longe de você. Pode ficar certa disso.

Anônimo
Visitante
Anônimo

o meu auto-engano é achar que não tem mais perdão pra mim, eu errei tanto peco tanto na mente contra Deus que eu acredito mais posso ir para o inferno do que na salvação de Deus confesso que oro muito e peço pra Deus libertar a minha mente desses pensamentos mas sinto Deus tão distante, e Ele nem fala mais comigo, mas no fundo eu sei que Deus é perdoador, pra resumir o que sei é que estou perdida e quero me encontrar em Deus de preferencia.

Vinicius Moura
Visitante

Achar que não há perdão por parte de Deus é realmente um engano. Há somente um pecado para o qual não há perdão – contra o Espírito Santo (tenho um texto sobre isso aqui no blog). E você não deve ter cometido esse pecado.

A Bíblia diz que se você reconhecer e pedir perdão pelos seus pecados, Ele vai perdoar. Pode ter certeza disso. Mas depois do perdão é preciso mudar sua vida, procurar não repetir os erros anteriores.

Vinicius

Anônimo
Visitante
Anônimo

Eu não repeti os erros anteriores muito pelo contrario procuro não errar mas o meu passado bate a minh porta todos os dias me dizendo como eu pude ter errado tanto estando na igreja? Como Eu fiz isso com Deus e como castigo Ele esta longe de mim