A LUTA ESPIRITUAL

0
808

Hoje vamos falar sobre luta espiritual. E isso é importante porque vivemos entre dois universos que correm em paralelo: o físico e o espiritual. É fácil entender o primeiro deles, pois é aquilo que nos cerca e onde experimentamos nosso dia-a-dia. Agora, o mundo espiritual é diferente: trata-se de um universo não material, onde habitam anjos e demônios.

O fato é que os dois universos se influenciam mutuamente. Uma ação errada, desenvolvida no mundo físico, costuma ter consequências também espirituais. Por exemplo, quando a pessoa comete um pecado – digamos, um roubo – a consequência material é que alguém acaba prejudicado. E há sofrimento físico por causa disso. Mas também há consequências espirituais, sendo a principal delas o afastamento do pecador de Deus, pois Deus é santo e não suporta o pecado. Outra consequência espiritual é a abertura que o pecador dá para Satanás operar na sua vida.

Consequências materiais costumam ser bem evidentes, mas as de cunho espiritual frequentemente passam meio despercebidas. Por isso as pessoas pouco fazem em relação às questões espirituais.

As janelas entre os dois universos
De vez em quando, aparecem como que “janelas” de comunicação entre os dois universos. E, nesses momentos, as pessoas conseguem perceber com clareza o que está se passando no mundo espiritual.
A Bíblia traz um exemplo muito interessante desse tipo de situação. O profeta Eliseu estava na sua casa, que se encontrava cercada pelas tropas do general sírio Naamã. O servo do profeta, apavorado com a situação, apelou para Eliseu, pedindo-lhe que intercedesse para Deus mandar ajuda. E a resposta de Eliseu foi surpreendente. Simplesmente pediu a Deus que abrisse os olhos do rapaz e o servo pode ver a casa de Eliseu cercada por uma milícia de anjos (2 Reis capítulo 6, versículos 13 a 17).
Eliseu era muito próximo de Deus e por causa disso via sempre o lado espiritual das coisas. Mas, seu servo, como acontece com a maioria das pessoas, vivia apenas o lado material. Ela nada sabia sobre o “outro lado”. Só quando uma “janela” entre os dois universos se abriu, foi que o rapaz conseguiu perceber o que estava acontecendo.
Há outros exemplos na Bíblia falando de “janelas” abertas para o mundo espiritual. Jacó viu, num sonho, uma escada ligando a terra ao céu e anjos subindo e descendo por ela (Gênesis capítulo 28, versículos 10 a 16). Durante a transfiguração de Jesus, os discípulos o viram em toda a sua majestade e glória e Deus falou com eles (Mateus capítulo 17, versículos 1 a 9). A visão do trono de Deus que o profeta Isaías teve é impressionante (capítulo 6, versículos 1 a 8).
Agora, assim como Eliseu, há pessoas que têm o dom do “discernimento espiritual”, isto é, capacidade de ver as conexões entre os dois universos. Para essas pessoas, há como uma “janela” permanentemente aberta entre essas duas realidades. Mas para a maioria de nós outros, essas “janelas” somente se abrem em momentos muito especiais.
Batalha espiritual 
Sabemos que há conflitos no mundo físico, como brigas ou guerras, que costumam ter consequências muito ruins. No mundo espiritual, também há disputas entre as forças de Deus e as de Satanás.
Mas, é importante perceber que não são dois lados com poder igual. O poder maior e incontestável é o de Deus. Satanás é um arcanjo caído e, portanto, uma criatura de Deus, logo seu poder é limitado.
Mas, precisamos ficar constantemente alertas contra a ação do mal sobre nossas vidas, porque o poder de Satanás é respeitável. Ele estabeleceu como sua missão tentar atrapalhar os planos de Deus e levar as pessoas a se perderem. Essa posição satânica leva a uma disputa constante entre as hostes divinas e as hostes do mal. Em linguagem teológica, chamamos isso de “batalha espiritual”.
A Bíblia traz vários exemplos desse tipo de situação. Um dos mais interessantes ocorreu com o profeta Daniel, que vivia no exílio e estava passando por momento difícil. Aí ele pediu ajuda a Deus e a resposta da sua oração demorou 21 dias. Veja a declaração surpreendente do anjo que foi mandado por Deus em resposta à oração de Daniel (capítulo 10, versículos 12 a 14):

E o anjo prosseguiu me exortando: “Não temas, caro Daniel, porque as tuas palavras foram ouvidas sim; desde o primeiro dia em que aplicaste humildemente o teu coração a fim de buscar entendimento diante do teu Deus, as suas orações foram ouvidas, e eu vim em resposta ao teu clamor. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu durante vinte e um dias. Então Miguel, um dos príncipes supremos, veio me ajudar a vencer o inimigo, porquanto não pude mais continuar ali com os reis da Pérsia. Assim, estou aqui agora para explicar-te o que acontecerá ao seu povo nos tempos futuros, pois a visão que tiveste se refere a dias ainda muito distantes.”…

Preste bastante atenção no que foi dito acima: Deus mandou um anjo e Satanás (“o príncipe do Reino da Pérsia”) impediu por três semanas que o anjo chegasse até Daniel. Foi preciso que viesse um poder maior – o arcanjo Miguel -, para que o anjo pudesse concluir sua missão.

Outro exemplo interessante é a disputa entre o arcanjo Miguel e Satanás pelo corpo de Moisés, relatada em Judas versículo 9 – o Inimigo queria ficar com esse corpo para fazer dele um motivo de idolatria pelos israelitas, enquanto o arcanjo Miguel tinha como missão evitar isso. No final, Miguel prevaleceu, mas houve luta.

Repare que a luta entre as hostes divinas e as do Inimigo acaba tendo consequências no mundo físico – por exemplo, Daniel precisou esperar 21 dias pela ajuda para superar seus problemas. E essas consequências não devem ser minimizadas.

Palavras finais
Precisamos nos preparar adequadamente para enfrentar batalhas espirituais, pois elas ocorreram em nossas vidas, cedo ou tarde.  E as aramas de que dispomos são a oração, o jejum, a Palavra de Deus e a nossa fé.

E há duas coisas que precisamos evitar fazer. A primeira delas é não tomar conhecimento ou minimizar as questões espirituais apenas porque não são visíveis no dia a dia. Isso é extremamente perigoso pois se não tivermos consciência clara dos riscos espirituais que corremos, deixaremos de nos preparar adequadamente para enfrentá-los.

A outra situação a ser evitada é o medo. Há pessoas que, depois de tomar consciência dessas questões espirituais, ficam apavoradas e passam a ver a ação de Satanás em tudo. Recebo muitos comentários aqui no site falando sobre isso.

E isso é muito ruim pois o medo é mau conselheiro. E não há porque ter medo porque, se tomarmos as precauções necessárias, será perfeitamente possível nos protegermos adequadamente dos ataques de Satanás.

Afinal, conforme ensina a Bíblia: “maior é o que está em nós do que o que está no mundo” (1 João capítulo 4, versículo 4). Em outras palavras, maior é o Espirito Santo (quem que está em nós) do que o “príncipe deste mundo” (Satanás). 

Com carinho

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of