A BENÇÃO ESQUECIDA

1
12205

Há uma importante promessa feita pelo próprio Jesus que é esquecida por boa parte dos(as) cristãos(ãs) – acredito que muitos(as) nem mesmo sabem que ela existe.

Essa promessa foi feita no contexto de uma troca de mensagens entre Jesus e João Batista – esse último foi um profeta de enorme importância pois veio ao mundo com a missão de preparar o caminho para a chegada do próprio Jesus.

Mas estando preso, aguardando sua execução (foi decapitado), João Batista duvidou que Jesus fosse mesmo o Messias – e é perfeitamente compreensível que tivesse fraquejado naquela situação terrível. João então mandou alguns emissários perguntarem a Jesus se Ele era mesmo o Messias tão esperado. E Jesus respondeu afirmativamente, citando seu ministério de cura e libertação como testemunho da sua missão (Mateus capítulo 11, versículos 2 a 5).

Agora, no final da sua resposta, Jesus disse algo surpreendente (versículo 6): “E bem-aventurado é aquele que não encontra em mim pedra de tropeço” – outras traduções dizem ”abençoado aquele que não é escandalizado por mim.”

Em outras palavras, prometeu uma benção para quem não vir n´Ele uma pedra de tropeço e também não se sentir escandalizado pelo seu Evangelho. E qual foi a benção prometida aqui?

A resposta está no mesmo texto, um pouco à frente (João capítulo 12, versículos 44 a 50). E acredito nenhuma promessa feita por Jesus é mais importante: Ele prometeu servir de advogado de defesa, diante de Deus, para quem cumprir essas condições, por ocasião do julgamento final.

Vou repetir: aquele(a) que não se sentir ofendido(a) pelo Evangelho e nem vier a atrapalhar sua difusão (“servir de pedra de tropeço”), contará com Jesus como seu advogado, o que certamente lhe abrirá as portas para a vida eterna. 

Mas ainda falta esclarecer o que seja “não se escandalizar” com o Evangelho e “não servir de pedra de tropeço” para sua difusão. A primeira condição significa não se deixar envergonhar com a declaração que Jesus é o Salvador da humanidade e muito menos sentir-se incomodado(a) em falar sobre isso. 

Ora, essa condição é equivalente ao mandamento que Jesus deu pedindo que todo(a) cristão(ã) anunciasse o Evangelho (Mateus capítulo 28, versículos 18 a 20). Infelizmente, há cristãos(ãs) que se sentem constrangidos(as) em fazer isso, pois não querem ser vistos(as) como carolas, quadrados(as), chatos(as), intransigentes, etc. 

Bem lá no fundo, essas pessoas se envergonham do Evangelho – essa é a verdade. Calam-se por conveniência. O pior é que normalmente não assumem o que fazem, escondendo-se atrás de desculpas esfarrapadas, como “não ter encontrado o momento adequado para falar” ou “não saber o que dizer”. Para quem age assim, o momento adequado nunca chega e nunca há tempo suficiente para aprender o que se deve dizer.

Há também quem deixe de seguir o caminho certo por achar que o Evangelho exige demais. A pessoa sabe que para seguir Jesus vai ter que mudar de vida – deixar hábitos e práticas de comportamento erradas. Vai ter que aprender a perdoar. Passar a olhar o próximo de forma amorosa. E assim por diante. E isso não é fácil.

Certa vez, conversei com um amigo que se dizia ateu e tentei lhe mostrar a importância do Evangelho. Depois de longa conversa, ele me disse que eu quase o tinha convencido mas que tinha muito tempo para pensar, para decidir mudar de vida. Essa conversa faz mais de 30 anos e o meu amigo ainda não se decidiu.

Recusar-se a mudar a própria vida é mais um exemplo de como a pessoa pode se escandalizar com o Evangelho. E há muitos outras possibilidades que poderia citar, mas acho que já deu para você entender do que Jesus estava falando.

A segunda condição para se apossar da promessa de Jesus é não servir de “pedra de tropeço” – trata-se de não atrapalhar a difusão do Evangelho. E há várias formas de alguém atrapalhar. Uma delas talvez surpreenda você: trata-se de não ter compromisso com a obra, isto é assumir responsabilidades de fazer coisas para ela e não cumprir com o prometido, deixando uma lacuna.  

Outra forma de se tornar “pedra de tropeço” é “adocicar” a mensagem do Evangelho para torná-la mais palatável para as pessoas. A verdade é que essa mensagem incomoda, e muito. O próprio Jesus advertiu seus discípulos para essa questão. 

É por isso que hoje em dia muitos pastores(as) pregam um Evangelho politicamente correto, que é parece mais conveniente – exemplos disso são nunca falar sobre pecado e defender que Jesus é “bonzinho” e por isso não irá mandar ninguém para o inferno (todos serão salvos).

Ora, quem faz isso está tropeçando – modificando o Evangelho -, erro muito sério. E fazendo as outras pessoas tropeçarem junto por deixarem de ensinar o que precisa ser dito. 

Com carinho

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
0 Comment authors
Anônimo Recent comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Anônimo
Visitante
Anônimo

MUITO BEM VINÍCIUS GOSTEI BEM ESPLANADO SEU COMENTÁRIO É ASSIM MESMO MUITOS SÓ QUEREM ESCUTAR PALAVRAS DOCES MAIS A VREDADE Ñ É ASSIM Ñ,A VERDADE É QUE SE Ñ ACEITARMOS JESUS COMO O NOSSO SALVADOR E FIZERMOS A SUA VONTADE, O SEU IDE AMAR-MOS UNS AOS OUTROS ASSIM COMO ELE NOS AMOU E QUE SE Ñ ACEITARMOS IREMOS PRO INFERNO MESMO, QUE Ñ FOI FEITO PARA NÓS ,MAS VAMOS PARA LÁ DE DESOBIDIENTES E MALOVIDOS QUE NÓS SOMOS…PAZ DO SENHOR.