QUAL É O VALOR DAS BOAS AÇÕES?

1
656

Certa vez fizeram uma pergunta interessante para mim: Por que as más ações (pecados) levam a pessoa para o inferno e as boas ações não a levam para o céu? Essa pergunta faz sentido, porque a Bíblia estabelece com clareza que a pessoa é salva (vai para o céu) por sua fé em Jesus Cristo e não por suas boas ações. 

Ora, como Deus não é incoerente, deve haver uma explicação para essa aparente contradição. E há mesmo. Na verdade, quando alguém afirma que a salvação se dá apenas pela fé da pessoa em Jesus Cristo, está simplificando um pouco o que acontece. Há muito mais coisa acontecendo nos “bastidores”, como vou mostrar a seguir. 

E começo lembrando que Deus não tolera o pecado. De nenhum tipo. Mas o que é pecado? Trata-se de qualquer coisa que contraria a vontade de Deus, viola os mandamentos que Ele nos deu (conforme apresentados na Bíblia). 

Uma forma interessante de entender esses mandamentos é pensar neles como os requisitos que Deus estabeleceu para que os seres humanos possam manter uma relação saudável com Ele.

Agora, talvez você não tenha se dado conta de como esses “requisitos” são exigentes. Basta lembrar que é preciso amar Deus acima de qualquer coisa – incluindo família, emprego, dinheiro, lazer, etc – e tratar o próximo da mesma forma como gostaríamos de ser tratados. 

São exigências pesadas. Tão abrangentes, que nenhum ser humano consegue cumpri-las integralmente. É por causa disso que a Bíblia ensina que todo mundo peca. Todo mundo, sem exceção.

Afinal, todos mentem (ou já mentiram), sentem (ou já sentiram) inveja, ódio, raiva, ciúme e outras coisas ruins. São (ou já foram), de alguma forma, indiferentes ao sofrimento dos seus semelhantes. Colocam (ou já colocaram) outras coisas, como a família ou o emprego, na frente de Deus. E assim por diante.

É claro que se alguém conseguisse cumprir todos os mandamentos de Deus, juntaria mérito suficiente para ser salvo(a). Mas, como todos pecam, ninguém consegue fazer isso. Em outras palavras, ninguém consegue se salvar a partir dos seus próprios esforços, com base nas boas obras que faz. Simples assim.

Se é assim, como alguém pode ser salvo? A resposta é: Sem merecimento, através da Graça de Deus. Deus, na sua misericórdia e infinito amor, encontrou uma saída alternativa para os seres humanos que não envolve juntar mérito suficiente: Trata-se do sacrifício de Jesus na cruz, feito para pagar pelos pecados dos seres humanos.

E, embora esse sacrifício esteja disponível para todo mundo, somente é eficaz para quem verdadeiramente aceita (tem fé em) Jesus como seu salvador. Para quem aceita a Graça de Deus. Aí o resultado – a salvação –  acontece.

Esse é o plano de salvação que Deus estabeleceu para todos os seres humanos. Portanto, a salvação não é o reconhecimento do mérito das pessoas – como quando uma professora dá boa nota para o aluno que acertou a maior parte das questões da prova. A salvação vem somente por conta da Graça, quando a pessoas reconhece que precisa dela e a aceita.

Portanto, não há nenhuma incoerência na Bíblia. O ser humano poderia ser salvo pelos próprios méritos, mas essa é apenas uma possibilidade teórica, pois nunca vai se materializar. Somente a alternativa da Graça pode livrar o ser humano.

Agora, há ainda uma questão a ser respondida. Se as boas ações não pesam na salvação, isso significa que elas não têm valor aos olhos de Deus? É claro que não. As boas obras têm enorme valor e por diversas razões. 

Primeiro porque espalham o bem e isso sempre gera frutos positivos. Se todos perseguissem o bem, o mundo seria um lugar muito melhor para se viver – a qualidade de vida de todos aumentaria muito.

Depois, porque as boas ações servem de “termômetro” para a fé da pessoa. A fé verdadeira – aquela que abre as portas para a salvação – precisa gerar mudanças no interior da pessoa e as boas obras são a consequência prática dessa mudança. A Bíblia ensina que a pessoa pode até saber quem Jesus é, mas se sua fé não gerar mudanças interiores, de nada adianta (Tiago capítulo 2, versículo 17).

Assim, se você quiser saber como está sua fé, olhe para as obras geradas pela sua vida. Uma fé saudável gera boas obras, uma fé morta não gera nada ou quase nada. 

Finalmente, e como era mesmo de se esperar, as boas obras são reconhecidas por Deus, gerando prêmios (chamados na Bíblia de galardões), que serão desfrutados quando a pessoa chegar na vida eterna. São como “tesouros guardados no céu” (Mateus capítulo 6, versículo 20). Não sabemos bem como isso vai acontecer, mas temos certeza será realidade.

Com carinho

1 Comentário


  1. Notice: get_user_by_email está obsoleto desde a versão 3.3.0! Use get_user_by('email') em seu lugar. in /home/sercrist/public_html/wp-includes/functions.php on line 3831
    Anônimo

    Olá Vinicius! Gostaria de pedir sua opinião sobre algo que desde minha conversão me incomoda… Eu acredito definitivamente em Jesus, que Ele é o salvador, e em Deus, não tenho dúvida alguma de nada que é dito na bíblia! E mesmo em minha vida já percebi milagres do Senhor, respostas de oração… Mas eu as vezes duvido de que serei salva, embora eu saiba que a salvação vem pela graça e não pelos meus méritos, mas mesmo assim, não consigo me livrar de grande culpa quando tenho pensamentos ruins para com o meu próximo, ou quando não consigo me concentrar em minhas orações… Eu me esforço para agradar a Deus, mas meus pecados me fazem sentir culpa, e me pego orando em repetiçoes, pedindo perdão várias vezes pela mesma coisa… Sei que há algum problema espiritual comigo nesse sentido… Eu entendo o plano de salvação racionalmente, mas não consigo sentir o alívio que o cristianismo é capaz de dar… Certa vez, irmãos vieram orar em minha casa e Deus falou comigo através de um deles. Deus me perguntou: "Quando é que você vai entender que é minha filha?". Você tem alguma dica ou conselho para que o que eu já entendi com a minha cabeça possa ser entendido pelo meu coração?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here