QUEM DISCIPULA TAMBÉM PRECISA SER DISCIPULADO

0
925868

Certa vez eu conversava com um irmão na fé, homem que já frequentava sua igreja havia mais de trinta anos. E ele me disse que não mais assistia aulas de Escola Dominical ou participava de estudos bíblicos porque já se considerava um cristão maduro, pronto, com conhecimento suficiente. Não tinha muito mais a aprender de ninguém.

Ora, o testemunho da Bíblia é bem diferente dessa posição – o que vemos ali são pessoas passando por processo contínuo de discipulado, sempre aprendendo mais sobre as coisas de Deus. E gostaria de citar aqui, em particular, o exemplo de Tito, discípulo de Paulo, para quem o apóstolo dirigiu uma carta com ensinamentos.

Tito era um pagão que tinha sido convertido por Paulo ao cristianismo – o apóstolo chega a chamá-lo de “filho na fé” (Tito capítulo 1, versículo 4). Sabemos que Tito, embora não seja citado nominalmente no livro de Atos dos Apóstolos, esteve presente em alguns dos eventos fundamentais do início da vida da igreja cristã, como o Concílio de Jerusalém, no ano 49, quando Pedro, Paulo e Tiago discutiram o futuro do cristianismo (conforme referencia em Gálatas capítulo 2, versículos 1 a 3).

Por volta do ano 57, Tito teve papel importantíssimo na superação de um atrito muito sério que Paulo teve com a igreja de Corinto, depois da sua segunda viagem até lá. Tito foi enviado por Paulo para pacificar aquela igreja e se saiu muito bem na tarefa, conforme testemunhos da própria Bíblia (por exemplo, 2 Coríntios capítulo 2, versículos 3 e 4 e capítulo 7, versículos 8 e 9). 

Vários anos depois, por volta do ano 64, Tito visitou a ilha de Creta, com o próprio Paulo, e ficou para trás para cuidar das igrejas que foram fundadas ali. Paulo, então, escreveu uma carta a Tito justamente para orientá-lo sobre como fazer esse trabalho.

Nela, Paulo dá uma série de conselhos sobre como Tito deveria proceder para escolher pessoas que iriam pastorear as novas igrejas e como ele mesmo deveria se comportar (Tito capítulo 2, versículos 7, 8 e 15 e capítulo 3, versículo 10).

Ora, a situação aqui é a de um pastor de igrejas e líder espiritual bastante maduro e experiente, que já tinha sido encarregado de funções complexas, como pacificar a igreja em Corinto ou desenvolver o campo missionário em Creta. Mas, ainda assim Tito recebeu e aceitou conselhos de Paulo. 

Ao contrário do homem cujo testemunho citei no início desta postagem, Tito aceitou tranquilamente ser discipulado por Paulo, pois entendia precisar dessa orientação. Da mesma forma, no seu tempo, Paulo foi discipulado por pessoas como Barnabé.

O fato é que tanto podemos discipular outras pessoas, menos experientes e maduras na fé que nós mesmos, como também precisamos ser discipulados, no momento adequado, por quem tenha o que nos ensinar. E esse é um ciclo que não acaba nunca.

Com carinho  

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here