O NOVO ESCÂNDALO NA IGREJA EVANGÉLICA

0
1197

E disse aos discípulos: É impossível que não venham escândalos, mas ai daquele por quem vierem! Melhor lhe fora que lhe pusessem ao pescoço uma mó de moinho, e fosse lançado ao mar, do que fazer tropeçar um destes pequenos. Lucas capítulo 17, versículos 1 e 2

Foi Jesus quem falou essas palavras duras especialmente dirigidas para líderes religiosos(as).

Nesse comentário, Jesus reconheceu que escândalos acabarão por acontecer, mais cedo ou mais tarde, porque a natureza humana é falha e líderes religiosos(as) são tão humanos(as) como as demais pessoas. 

Mas a razão para essa advertência terrível por parte de Jesus é simples: escândalos causados por líderes religiosos(as) geram grande impacto no meio da Igreja Cristã. Afinal, queiramos ou não, o fato é que líderes sempre acabam por se tornar referência para as demais pessoas e sua eventual queda em pecado desestabiliza muita coisa.

Primeiro, porque os escândalos expõem a Igreja Cristã ao ridículo público – por exemplo, você se lembra dos comentários decorrentes do caso dos bispos pegos pela alfândega norte-americana contrabandeando dólares dentro da Bíblia? Foi constrangedor para quem é cristão(ã).

Depois, porque esses escândalos acabam por levar pessoas com mente mais fraca e impressionável a duvidarem da sua fé – infelizmente, há quem confunda Jesus com os(as) líderes que dizem representá-lo aqui na terra. Isso não é verdade, mas as pessoas fazem essa confusão. E isso ficou muito claro, por exemplo, no caso dos padres pedófilos  – um homem contou como se sentiu, ainda menino, ao ser abusado por um padre: “como dizer não para Deus“.

Resumindo, líderes religiosos(as) recebem muitos dons espirituais de Deus – fé, discernimento espiritual, oratória, louvor, cura, etc – e por causa disso têm grande impacto na vida da Igreja Cristã. E também é por isso que sua responsabilidade é maior do que a das demais pessoas.

Agora, estou falando tudo isso por causa do último escândalo ocorrido dentro da igreja evangélica. Refiro-me ao caso do pastor Felipe Heiderich, casado com a conhecida pastora e cantora evangélica Bianca Toledo.

O pastor foi acusado pela própria mulher de cometer pedofilia com o filho dela (de outro casamento) de apenas 6 anos. No momento que escrevo este texto, o pastor Felipe está preso por conta dessa acusação, já que o crime do qual foi acusado é considerado hediondo. 

Sei que o pastor não foi julgado e, portanto, ainda precisa ter oportunidade para se defender melhor, assim é preciso ter cuidado no que se afirma contra ele (a justiça chama isso de “presunção da inocência”).

Mas os indícios de que algo grave aconteceu são sérios e há uma criança pequena envolvida. E é estarrecedor pensar na possibilidade que um pastor possa ter feito isso e com o próprio filho da mulher com a qual escolheu se casar. 

O que nos cabe fazer e dizer numa situação como essa? Qual a postura que se espera do(a) cristão diante desses fatos?

Antes de tudo, precisamos orar por todos(as) os(as) envolvidos(as). Certamente, essas pessoas estão carregando grande carga de vergonha, tristeza, raiva, culpa, etc. E precisam da orientação do Espírito Santo. Merecem que intercedamos por elas e isso vale inclusive para quem tenha errado. Afinal, esse é o espírito do cristianismo.

Depois, temos que nos manter informados sobre o que aconteceu, buscando fontes de informação sérias e confiáveis. E não por causa de uma curiosidade excessiva e sim porque precisamos esclarecer as dúvidas daquelas pessoas que ficarem confusas com tudo o que aconteceu e tiverem suas vidas espirituais afetadas. 

Finalmente, é preciso aprender com esses tristes fatos. Tirar lições para nossas próprias vidas. Afinal, ninguém está livre de esbarrar em situações de riscos – lembro de uma moça que conheci, muitos anos atrás, que me contou sobre o momento em que flagrou um convidado à sua casa praticando atos libidinosos com seu bebê de poucos meses.

Precisamos ficar aprender a ficar atentos e a proteger melhor os nossos entes queridos, pois ninguém está livre de riscos. É triste constatar isso, mas é a mais pura verdade. 

Comportamentos como aquele do qual o Pastor Felipe é acusado  sempre deixam sinais – por exemplo, as babás da tal criança contaram que ele se trancava por muito tempo com a criança no quarto dela. Ora, isso não parece ser um comportamento adequado – se não há maldade, por que trancar a porta do quarto?

Esses sinais precisam ser notados e temos que usá-los para tomar medidas para nos proteger (e aos nosso entes queridos). A Bíblia nos aconselha a sermos prudentes (Mateus capítulo 10, versículo 16), tomar cuidado com o que fazemos, com quem nos relacionamos, com os ambientes que frequentamos e assim por diante. 

Com carinho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here