COMO JESUS É HOJE?

0
126

 

O quadro acima é um dentre milhares que retratam Jesus. O denominador comum da esmagadora maioria das pinturas desse tipo é retratarem Jesus como um europeu: pele branca, olhos claros e cabelo louro ou castanho.

E as pessoas se acostumaram com essa imagem europeizada de Jesus e demorou muito tempo para que elas percebessem que Ele não era nada assim. O Jesus branco e louro é apenas a forma como os artistas europeus perceberam o Messias.

Como uma pessoa que viveu na Palestina, no século I da nossa era, Jesus provavelmente era baixo (para os padrões atuais), tinha cabelos pretos, encaracoladas e barba cerrada. Sua pele era morena, até por conta de grande exposição ao sol.

Quando o cristianismo chegou em outros continentes, como África e Ásia, os artistas locais começaram a retratar Jesus e fizeram o mesmo que os europeus: viram-no de acordo com as “lentes” da sua própria cultura. E aí passamos a ter diversas imagens de Jesus, algumas de pele escura, outras com olhos puxados e assim por diante, como no exemplo abaixo.

 

Eu não vejo nada errado com essa prática, desde que as pessoas entendam que têm diante de si uma simples imagem do homem verdadeiro. Uma releitura da realidade, do homem que viveu 2.000 anos atrás.

Acredito que essa reflexão gera uma curiosidade. Sabemos como Jesus foi, milhares de anos atrás. Mas como será Ele hoje? 


Sabemos que Ele é o Cristo glorificado, que está à direita de Deus Pai, pois a Bíblia nos conta essa verdade. E podemos ter uma ideia da sua aparência através do relato de João, contido no Apocalipse capítulo 1, versículos 13 a 16.  O autor descreveu uma visão que teve do Cristo glorificado e a aparência d´Ele impressionou muito a João. Tanto assim que precisou usar metáforas para conseguir contar o que viu – nunca devemos esquecer que a linguagem humana tem dificuldade para descrever as coisas de Deus:

O cabelo dele era branco como a lã ou a neve, e os olhos eram labaredas de fogo.  Os pés brilhavam como o bronze polido e a sua voz ressoava como o som de muitas águas… da sua boca saia uma afiada espada de dois gumes; e o rosto dele brilhava como a força do sol do meio dia…”

A primeira coisa que vem à minha mente ao ler esse texto é que as visões de Jesus encontradas em muitos livros atuais não estão de acordo com esse relato. A Palavra de Deus fala de um ser que irradia poder e glória e não de um homem humilde, calçado de sandálias, como frequentemente Jesus é descrito por aqueles que dizem tê-lo visto. Essa figura humilde viveu na terra dois mil anos atrás e não mais existe.

Hoje quem vive é o Cristo glorificado, o ser que João viu e descreveu no Apocalipse. E acho que vale a pena aprofundar um pouco o significado das metáforas usadas por João para entender melhor quem ele viu.

O cabelo branco significa sabedoria – hoje ainda, nos tribunais ingleses, os juízes colocam uma peruca branca quando vão julgar, para demonstrar serem sábios. Na maioria das sociedades primitivas o Conselho de Anciãos representava a voz da sabedoria e da prudência. Portanto, o Cristo glorificado irradia grande sabedoria.

O fogo tradicionalmente é o agente usado para refinar os metais – separar impurezas. A Bíblia fala várias vezes do ouro refinado (puro) como algo de enorme valor.

Portanto, os olhos como chama de fogo representam um olhar capaz de ver o interior de cada pessoa, tanto as qualidades como as “impurezas”. Nada escapa a esse olhar.

O bronze sempre tinha na antiguidade o significado de força, pois as armaduras e espadas eram feitas desse metal. Mas também representava majestade, pois as estátuas dos reis e poderosos eram forjadas desse metal.

Os pés do Cristo glorificado serem de bronze polido representam a força e o poder que emanam da sua figura. E indicam também que tudo está debaixo do seu governo.

A voz como de “muitas águas” significa uma voz forte como o ruído de uma cachoeira – pode ser ouvida e identificada ao longe. Ninguém pode alegar que entrou em contacto com o Cristo glorificado e alegar que não conseguiu ouvir sua voz.

A figura da espada afiada é usada em vários locais da Bíblia para significar a Palavra de Deus, que é poderosa para “separar” o corpo do espírito. Cristo é a Palavra de Deus, o Verbo divino encarnado, conforme o evangelho de João capítulo 1, versículo 14. Portanto, tudo que Jesus falou e fala é a Palavra de Deus, pura e simplesmente.

Por isso Deus ordenou, durante o evento em que Jesus foi transfigurado (Mateus capítulo 17, versículos 1 a 5): “A Ele ouvi“. Precisamos ouvir o que Ele fala e saber que sua mensagem tem poder para “cortar” fundo.

Finalmente, o brilho igual ao do sol do meio dia significa que João estava diante de um ser magnífico, cuja glória o olho humano não pode suportar, tal como acontece com o sol. Afinal, ninguém pode suportar o brilho dessa estrela por mais de uns poucos segundos, sob pena de ficar cego.

E assim também acontece com o Cristo glorificado: sua glória é tão impressionante que consumiria os seres humanos que resolvessem olhar diretamente para Ele. Podemos apenas vislumbrar o ser que está ali mas nunca tentar examiná-lo em detalhe.

Esse é o Cristo em toda a sua glória e poder. Nada a ver com aquele homem humilde, de sandálias empoeiradas, acostumado a sofrer, que os Evangelhos descrevem. Esse homem existiu, mas acabou crucificado e morto. O ser que ressurgiu, ao terceiro dia, e subiu aos céus é bem diferente.

Com carinho

Deixe um comentário

avatar

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Subscribe  
Notify of