DEVEMOS CONSULTAR DEUS A CADA PASSO?

0
896

Será que precisamos consultar Deus antes de dar cada passo de nossas vidas? Essa pergunta é importante porque encontro muita gente no meio evangélico que diz fazer isso e recomenda que as outras pessoas façam também. Logo, vale a pena analisar se há suporte bíblico para tal tipo de postura teológica. 

É isso que Deus espera de nós?
Acredito firmemente que a Bíblia não dá suporte à ideia que Deus espera ser consultado a cada passo. Eu não conheço nenhum versículo bíblico que afirme isso explicitamente. Trata-se de mais um dentre aqueles ensinamentos que acabam se firmando no meio cristão porque parecem ser bíblicos mas não são de fato. 

E começo essa discussão lembrando que Jesus ensinou qual é o melhor modelo para caracterizar nossa relação com Deus: filhos(as) lidando com seu Pai.  Agora, o que a Bíblia ensina sobre como os pais devem educar seus filhos(as)? Ela diz que os pais devem ensinar seus filhos(as) os caminhos do SENHOR para que, quando adultos(as), saibam tomar as decisões corretas (Provérbios capítulo 22, versículo 6).

E isso faz todo sentido. Nenhum pai ou mãe que se preze esperaria que seus filhos(as), especialmente depois de adultos(as), venham a consultá-los sobre cada detalhe das suas vidas. Filhos(as) que sentem necessidade de fazer isso são considerados imaturos(as).

E também funciona assim no mundo espiritual. À medida que as pessoas vão amadurecendo na sua fé, devem se tornar capazes de tomar suas próprias decisões, aprendendo a seguir sempre os ensinamentos de Deus. E essa é uma das razões pelas quais Deus nos deu o livre arbítrio – se fosse para Ele decidir tudo, a liberdade que temos não seria necessária.

Outro aspecto que me faz concluir não ser da vontade de Deus decidir cada passo das nossas vidas é o exemplo dos grandes homens da fé. Não foi assim que Deus se relacionou com eles. Por exemplo, Salomão foi ungido rei muito jovem e sentiu o peso de ter que suceder um grande homem, Davi, seu pai. Certa noite, Deus apareceu a Salomão em sonho e lhe perguntou o que queria receber. E o jovem rei pediu sabedoria para poder governar bem o seu povo. E Deus se agradou tanto dessa resposta que, não só atendeu o pedido de Salomão, como também lhe garantiu riquezas e poder (1 Reis capítulo 3, versículos 3 a 13).

Repare que Salomão não pediu para Deus decidir tudo por ele. O jovem rei pediu sabedoria para ter condições de tomar as melhores decisões. E há muitos outros exemplos – como Moisés, Paulo e Pedro – de homens que exerceram brilhantemente seus respectivos ministérios, usando os dons que o Espírito Santo lhes deu. E não precisaram ficar consultado Deus a cada momento. 

Não estou afirmando que esses homens não estavam em comunhão constante com Deus. Mas a razão foi outra. Eles receberam de Deus o consolo, o incentivo e a força necessários para cumprir suas respectivas missões – foram sempre alimentados espiritualmente, de acordo com suas necessidades. Mas isso não é igual a dizer que Deus decidiu cada passo de suas vidas. 

O problema com essa teologia
O maior problema causado pela teologia do “tudo deve ser decidido por Deus” é o possível silêncio d´Ele. E sabemos que muitas vezes Ele não responde mesmo – os Salmos estão cheios de declarações falando desse tipo de experiência (p. ex. ver capítulo 2, versículos 1 e 2, capítulo 10, versículo 1; e capítulo 13, versículos 1 e 2).

E quando o silêncio de Deus aparece, uma de duas coisas, ambas ruins, podem acontecer com quem pensa que precisa consultá-lo a cada passo. A primeira é a pessoa ficar ansiosa e tentar preencher o “vazio” com suas próprias ideias, consolando-se aos seus próprios olhos ao atribuir essas ideias a Deus. Já perdi a conta das vezes que vi isso acontecer. 

A segunda possibilidade ruim é a pessoa ter sua auto-estima afetada ao sentir-se uma cristã “de segunda classe” que nem consegue ouvir direito a voz de Deus. O pior é que essa pessoa provavelmente vai encontrar no meio evangélico, onde vive, gente afirmando falar toda hora com Ele. Já tive oportunidade de ajudar muitas pessoas que passaram por essa situação e se sentiam espiritualmente derrotadas. 

Palavras finais 
Deus nos trata como filhos(as) e espera de nós o amadurecimento espiritual, conforme o apóstolo Paulo ensinou (1 Coríntios capítulo 3, versículos 1 e 2). E tal amadurecimento passa também por aprender quando consultá-lo sobre as coisas e quando agir usando a sabedoria que Ele dá.

Deus não quer decidir cada passo nosso. E pensar assim pode trazer consequências ruins, conforme comentei acima. 

Como em qualquer relação saudável, entre Pai e filhos(as), há coisas que precisarão ser discutidas com Ele e coisas que precisaremos encaminhar usando nosso próprio discernimento, como pessoas maduras que somos. Simples assim.

Com carinho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here