A “ARMADURA” DE DEUS

4
18055

Existe uma passagem na Bíblia que fala da “armadura” que protege o(a) cristão(ã) contra a ação do Inimigo (Efésios capítulo 6, versículos 13 a 18). A ideia de uma armadura como figura para representar a proteção de Deus foi tirada dos equipamentos que os soldados romanos usavam. Os judeus conheciam bem a armadura romana pois a viam todos os dias e sabiam como era eficaz.

A “armadura” que protege o(a) cristão(ã) é composta dos mesmos itens que os soldados romanos usavam: cinto, couraça, sandálias, escudo, capacete e espada. Cada um tem um significado espiritual especial. É o que vou explicar a seguir:

O “cinto” da Verdade
O cinto era uma peça muito importante pois nele o soldado pendurava a bainha da espada e um sem número de outros objetos dos quais precisava no dia-a-dia. O cinto também impedia que a túnica do soldado ficasse solta e atrapalhasse seus movimentos.

No mundo espiritual, a ligação de “cinto” com a Verdade aparece de duas formas. Primeiro, porque a Verdade de Deus é Jesus. E Ele é a base de tudo na vida espiritual. Depois, porque quando a pessoa abraça a Verdade (Jesus), passa a fugir da hipocrisia e das mentiras que justificam o pecado. 

A Verdade (Jesus) é o suporte de tudo na vida cristã, funcionando da mesma forma como o cinto na armadura do soldado romano. 

A “couraça” da justiça

A couraça defendia o tronco do soldado – seus órgãos vitais. No mundo espiritual, a “couraça” defende os sentimentos das pessoas – isso faz sentido porque os antigos acreditavam que os sentimentos residiam no coração. 

Mas qual é a ligação da “couraça” com justiça? Na Bíblia, justiça tem a ver com santidade, ou seja ausência de pecado. O que está sendo dito, portanto, é que a pureza de sentimentos gera comportamento correto e protege a pessoa, impedindo a presença do mal. 

As “sandálias” do Evangelho da paz
As sandálias precisavam ser fortes e confortáveis – nenhum soldado podia desempenhar bem suas funções sem um calçado confiável.

O que traz confiança e conforto na vida do(a) cristão(ã)? Somente a certeza da salvação trazida por Jesus. E é essa mensagem que a Bíblia chama de “boas novas”, o significado da palavra grega “evangelho”. 

A paz aparece na equação porque a salvação trazida por Jesus passa pelo perdão dos pecados da pessoa, ou seja de que seja feita paz entre ela e Deus. 

O “escudo” da fé

A escudo defendia o soldado de forma ativa. O capacete e a couraça eram fixos, mas o escudo era móvel, podendo ser usado tanto na defesa das partes do corpo eventualmente descobertas ou como reforçando a proteção fixa da cabeça ou tronco. 

O “escudo” espiritual se relaciona com a fé porque é ela que garante a presença do Espírito Santo na vida da pessoa. E somente isso pode defender a pessoa contra qualquer tipo de ataque espiritual.

O “capacete” da salvação

O capacete protegia a cabeça do soldado. Na leitura espiritual, o “capacete” significa a proteção da mente da pessoa. 

O “capacete” espiritual é ligado à salvação porque essa proteção da mente, conforme já disse antes, vem da presença do Espírito Santo, sendo fruto da aceitação de Jesus como Salvador. 

E a Bíblia também adverte contra o perigo de não contar com esse tipo de proteção, contra a “casa” (mente) vazia. O vazio acaba sendo preenchido pelos pensamentos do mundo e a pessoa se desvia do bom caminho. 


A “espada” da Palavra de Deus 

A Bíblia diz que a Palavra de Deus é tão poderosa que é capaz de “separar alma e espírito”. Isto é, permite que sejam separadas as diferenças entre sentimentos e pensamentos, base das relações humanas, das coisas que afetam o relacionamento com Deus, como fé e louvor (Hebreus capítulo 4, versículo 12). 

No livro do Apocalipse, Jesus aparece montado num cavalo branco e uma espada afiada sai da sua boca e lhe permite destruir seus inimigos (capítulo 19, versículos 11 a 16) – essa é outra metáfora para o poder da Palavra de Deus.

A Palavra de Deus tem poder pois é através dela que podemos explicar o significado das boas novas que Jesus trouxe, reivindicar as promessas que Deus fez, repreender a ação do mal, etc. 

A Palavra é um “equipamento” espiritual ofensivo – serve para atacar o mal. Ela é parte da armadura de proteção porque muitas vezes o ataque é a melhor defesa. 

Concluindo, use a “armadura” de Deus e se proteja do ataque do mal. Inclua esses conceitos na sua oração diária, pois eles são muito poderosos. Eu, por exemplo, sempre faço isso.  

Com carinho 

4
Deixe um comentário

avatar
2 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
0 Comment authors
Vinicius Mouragabriel01234 Recent comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
gabriel01234
Visitante

Aliás que igreja você frequenta ?

Vinicius Moura
Visitante

Sou metodista. Está na minha biografia.

gabriel01234
Visitante

Farei um comentário sem muito nexo à esse post, mais é uma duvida que eu tenho. Como eu sei quando fui perdoado por Jesus , o perdão vem pelo arrependento, certo ? E se a pessoa não se arrepender ? E se a pessoa se arrepender mais logo em seguida cometer o mesmo pecado ? Eu estou assim, peco, pesso perdão, porem volto a pecar mais tarde, isso me da encomoda muito, tenho medo de Jesus não me perdoar mais. Desculpa ficar fazendo perguntas aqui. ( não sei se pode fazer perguntas ou não )

Vinicius Moura
Visitante

Sem dúvida, o perdão começa no arrependimento. No saber que se peca e que precisamos de Jesus Cristo para poder nos aproximar de Deus. O único pecado sem perdão é aquele contra o Espírito Santo – tenho um post sobre isso que está entre os mais populares. Todos os demais pecados podem e serão perdoados, se houver arrependimento sincero. É claro que voltamos a pecar – todos nós – mesmo depois de termos recebido o perdão. Somos humanos e falíveis. O que Deus espera ver em nós é a sinceridade do arrependimento e perceber que estamos lutando para melhorar. E… Read more »