O NOME CORRETO DO SALVADOR

0
197

Ouvi certa vez uma pregação na qual a pastora disse mais ou menos o seguinte: “o nome verdadeiro do nosso Salvador é Yehoshua e se você quiser que Ele ouça quando você lhe falar, precisa usar o nome correto. Afinal, você só responde, quando te chamam pelo seu nome verdadeiro“.  

Essa declaração levanta duas questões. A primeira refere-se à identificação do nome correto do homem que conhecemos como Jesus, que morreu por nós numa cruz. Teria sido esse nome distorcido ao longo dos séculos? A segunda questão, não menos importante, refere-se a como Jesus deve ser invocado. Será que há uma única forma correta de fazer isso

Os nomes ao longo do tempo
Os nomes escritos numa língua, quando são usados por pessoas de outra língua, costumam ser transliterados. Essa palavra difícil significa o ato de transpor os sons da língua orginal (por exemplo, o hebraico) para a grafia da segunda língua (por exemplo, o português). Vemos isso acontecer quando nos referimos à cidade originalmente chamada de New York como Nova Iorque. 

É comum que haja mais de uma forma de transliterar uma palavra, pois o mesmo som pode ser escrito de diferentes maneiras numa determinada língua, como acontece no português quando usamos “ç” ou “ss”. Por exemplo, a palavra “baruch” também pode ser transliterada no espanhol como “baruj”, pois o “j” tem o mesmo som do “ch” naquela língua.

Além disso, as palavras mudam com o tempo. Por exemplo, a palavra “você” vem de “vossa mercê”, que foi primeiramente encurtada para “vosmecê” e dai chegou à forma atual – em Minas Gerais, a pronuncia já é mais simples ainda, “ocê”. O mesmo fenômeno de transformação ao longo do tempo acontece com as palavras transliteradas. 

Em resumo, os nomes dos personagens bíblicos que usamos no dia-a-dia nasceram de transliterações do hebraico, aramaico ou grego para o português (às vezes via uma língua intermediária, como o inglês) e ainda sofream mudanças ao longo do tempo, com o uso corrente. Ou seja, é um “quebra-cabeça” estabelecer qual a forma original de um nome usado na Bíblia.  

O nome do nosso Salvador
O nome correto do nosso Salvador é aquele que o anjo Gabriel contou para Maria (Lucas capítulo 1, versículo 31) – esse é o nosso ponto de partida. Em outras palavras, o nome d´Ele foi escolhido pelo próprio Deus e por isso deve ter importância para nós. Não há como escapar desse fato.

O nome que o anjo passou para Maria, transliterado com a maior precisão possível, foi Yeshua e significa “Deus salva” – trata-se de um trocadilho com a palavra yeshuá (salvação).

Esse nome não é inédito na Bíblia, conforme talvez você pudesse estar imaginando. Ou seja, nosso Salvador não tem uso exclusivo desse nome na Bíblia. O nome Yeshua aparece 29 vezes no Velho Testamento, como em Esdras capítulo 3, versículo 2, onde um sumo-sacerdote tem esse nome (costuma ser traduzido como Jesua, para diferenciar do nosso Salvador). 

Na verdade, o nome Yeshua é uma abreviação do nome Yehoshua que é extremamente comum (aparece 219 vezes no Velho Testamento). E no livro de Neemias, os nomes Yeshua e Yehoshua são usados de forma intercambiável (por exemplo, no capítulo 8, versículo 17), mostrando que eram considerados sinônimos. 

É provável que Yeshua fosse o nome usado no dia-a-dia, enquanto que nas ocasiões solenes – por exemplo quando a pessoa fosse chamada na sinagoga para ler a Torah – prevalecesse a versão completa, Yehoshua. Na cultura brasileira, seria como usar Zé no dia-a-dia e José nas ocasiões mais solenes.  

Sendo assim, quando o anjo Gabriel mandou que fosse dado o nome Yeshua para a criança, ele poderia também estar se referindo ao nome Yehosuha, a forma mais longa. Logo, não há como estabelecer com certeza qual, dentre essas duas formas, é a correta, pois ambas são suportadas pelas evidências bíblicas.  

A versão do nome mais longa, Yehoshua, é conhecida em português como Josué, o nome pelo qual o segundo líder de Israel é chamado. E o caminho para explicar como uma coisa virou a outra não é simples e acho que fugiria ao meu objetivo aqui. 

O fato é que Yehoshua acabou virando Josué e Yeshua ficou conhecido entre nós como Jesus. E as duas versões do mesmo nome foram mantidas para diferenciar nosso Salvador dos outros personagens bíblicos – imagine como seria confuso ter um Josué líder de Israel e outra pessoa, com o mesmo nome, como nosso Salvador. A praticidade acabou tendo um peso grande nessa decisão.

Concluindo, o nome transliterado de forma correta do nosso Salvador é Yeshua ou Yehoshua. Na forma popular, poderia ser Jesus ou Josué. Sendo assim, parece razoável adotar na prática Yeshua, quando a pessoa desejar maior precisão, e manter Jesus para o uso diário.

Faz diferença invocar Jesus pelo nome certo?
O que eu falei acima significa que é fundamental invocar nosso Salvador apenas pelo nome Yeshua ou Yehoshua, como defende a pastora a quem me referi no começo deste post? Penso que não e a razão é simples.

Não me parece razoável imaginar que Jesus vai fazer questão de que seu nome seja invocado de forma precisa, quando existem 2,5 bilhões de cristãos no mundo, oriundos de milhares de diferentes culturas. Não vejo nada na Bíblia que dê apoio a essa interpretação.

O que Jesus quer é manter um relacionamento próximo e amoroso com as pessoas e não o cumprimento de filigranas como essa. Afinal, como Ele é onisciente, sabe perfeitamente quando alguém o está invocando, mesmo que o nome usado não seja preciso. Simples assim.

Com carinho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here