TRANSGRESSÃO, INIQUIDADE E PECADO SÃO COISAS DIFERENTES

1
984487

Todo mundo comete erros que desagradam a Deus e essa afirmação vale igualmente para você e para mim.

Naturalmente nem todos os erros de uma pessoa são da mesma natureza. Há erros que a pessoa comete porque é orgulhosa e rebelde e se recusa a obedecer a vontade de Deus, como também há erros que a pessoa comete porque é imperfeita e ainda está aprendendo a agir como deve – pode ser que ela até queira fazer a coisa certa, mas acaba errando. 

Embora nem todo erro tenha natureza igual, em muitas passagens da Bíblia, para simplificar o relato, os erros de uma pessoa são todos resumidos por uma mesma palavra, como “pecados”. Por exemplo, veja o que Jesus disse para a mulher que lhe lavou os pés com as próprias lágrimas: “Os teus pecados te são perdoados” (Lucas 7:36). É claro que aquela mulher, tinha cometido diferentes tipos de erros ao longo da sua vida, mas Jesus resumiu tudo com base na palavra “pecados”.

Eu costumo fazer a mesma coisa aqui no site, frequentemente usando a palavra “pecados” para me referir a tudo que uma pessoa faz de errado e desagrada a Deus. É uma maneira de simplificar as coisas, embora tecnicamente eu esteja juntando num mesmo “saco” coisas que não são exatamente iguais

Isso fica mais fácil de ver ao ler o Salmo 51 – Davi escreveu esse salmo depois de ter tomado consciência dos seus muitos erros relacionados com o episódio do seu adultério com Bate-Seba, incluindo a armadilha que levou à morte do marido dela. Veja o que Davi disse nos versículos 1 e 2 desse salmo:

“Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias. Lava-me completamente da minha iniquidade, e purifica-me do meu pecado”.

Davi usou três palavras diferentes para se referir aos próprios erros: transgressão, iniquidade e pecado. E ele não fez isso por acaso, pois estava se referindo a três tipos de erros bem distintos.

Transgressão significa se rebelar e ultrapassar conscientemente um limite que foi fixado. Quando a pessoa dirige acima do limite de velocidade que foi estabelecido para determinada estrada, ela comete uma transgressão. A pessoa erra tendo total consciência do seu erro. Sabe que não deveria fazer aquilo, mas faz assim mesmo, porque o erro lhe traz algum prazer ou alguma vantagem (por exemplo, chegar mais depressa).

Na vida espiritual, o limite que não deve ser ultrapassado é a lei de Deus. Ali foi estabelecido o que a pessoa pode ou não fazer e ultrapassar conscientemente tal limite, ou seja violar essa lei, é cometer uma transgressão (Romanos capítulo 4, versículo 15 e Gálatas capítulo 3, versículo 19).

A transgressão, portanto, é um ato de infidelidade, de desobediência explícita. Implica em querer fazer a própria vontade, contestando ativamente a vontade de Deus.

A lei de Deus estabelecia que Davi não podia se relacionar com a mulher de outro homem, pois isso seria adultério, mas foi exatamente isso que ele fez com Bate-Seba. Logo, Davi cometeu uma transgressão e reconheceu isso logo no início do salmo 51.

Iniquidade é um erro de natureza diferente: tem a ver com algo interno – pensamento e/ou sentimento perverso que a pessoa deixa crescer no seu interior. É exatamente por isso que a palavra “iniquidade”, no hebraico, significa “curvatura”, pois se refere a algo que está “torto” no íntimo da pessoa.

A iniquidade costuma preceder a transgressão: A pessoa abriga pensamentos errados e eles acabam dando origem a uma rebeldia consciente (transgressão).

No caso de Davi, a iniquidade residiu na luxúria que ele nutriu por uma bela mulher casada – da janela do seu palácio, pôde vê-la tomando banho e a desejou. E deixou aquele pensamento errado tomar conta da sua mente. Davi acabou mandando chamar aquela mulher ao seu palácio e adulterou com ela. A iniquidade de Davi (luxuria) deu origem à transgressão (adultério).

Finalmente, existe ainda o pecado.  Essa palavra significa, no hebraico, errar o “alvo”. E que “alvo” seria esse? Simples: a vontade de Deus caracterizada pelas suas leis.

No caso do pecado, esse acontece por conta das imperfeições da pessoa – por exemplo, ela se deixa levar pelas aparências ou não controla o próprio temperamento.

Ela pode até estar querendo acertar o “alvo” e fazer a vontade de Deus. Mas, acaba errando assim mesmo.  Foi isso que Paulo quis dizer em Romanos capítulo 7, versículo 19: “Pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo”.

Paulo lamentou que, muitas vezes, queria fazer a coisa certa e acabava errando assim mesmo. Queria acertar e ainda assim acabava pecando.

Esse não é um erro fruto da rebeldia, da vontade de transgredir as leis de Deus. A situação aqui é outra.

Concluindo, não é por acaso que Davi, no salmo 51, tenha usado três diferentes palavras para descrever seus erros: transgressão (aplicável tanto à situação em que ele adulterou com Bate-Seba, como ao assassinato do marido dela), iniquidade (que teve a ver com a luxuria, que o levou ao adultério, e a hipocrisia, que o levou a matar o marido dela para esconder seu mal feito), e pecado (aplicável a outros erros que cometeu ao longo da sua vida).

Com carinho

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Alessandra Recent comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Alessandra
Visitante
Alessandra

Muito bom saber o significado de cada palavras, vou ler mais vezes