SERÁ QUE TODOS OS CAMINHOS LEVAM A DEUS?

0
177

Tempos atrás, li uma entrevista de uma artista da Rede Globo falando sobre sua novela, que tinha acabado de estrear. Como está ficando cada vez mais comum, a tal novela apresentou uma visão do mundo baseada no espiritualismo e esse era o tema da entrevista. A tal atriz fez o papel da mocinha boa, que se envolveu em muitas experiências espiritualistas.

A artista disse que estava se sentindo muito bem no papel porque acreditava em todo tipo de experiência espiritual. E completou sua declaração, dizendo que quem defende haver apenas uma fé verdadeira (uma referência indireta ao cristianismo) demonstra ter mente estreita e intolerante.

A posição que essa atriz defendeu é muito comum no Brasil e pode ser resumida na famosa frase: todos os caminhos levam a Deus. Essa tese pode ser simpática, por parecer expressar respeito pelo pensamento do próximo, mas o problema é que ela está totalmente errada. E se for aceita, pode levar as pessoas a tomarem decisões ruins.

Portanto, ser contra essa tese não é uma posição intolerante. Trata-se apenas de estabelecer a verdade dos fatos e de proteger as pessoas de possíveis problemas que podem criar para si mesmas.

Nem todas as crenças podem ser verdadeiras
É fácil de perceber que nem todos os caminhos espirituais existentes podem estar certos. Isso é até logicamente impossível.
Se olharmos para o conjunto de religiões existentes, fica evidente a grande diversidade de concepções do mundo espiritual que elas defendem. Algumas falam de uma força impessoal que não tem plano de ação ou vontade própria. Outras, como o cristianismo, entendem que Deus é um Ser racional, com vontade e emoções próprias, que criou e controla tudo que existe. 
Existem ainda religiões politeístas, que defendem a existência de inúmeros deuses – os hinduístas adoram centenas deles -, sendo que cada deus(a) tem seu papel e área de atuação no campo espiritual. Enquanto há religiões, como o cristianismo, que defendem que Deus é um só.
Há ainda religiões que defendem a reencarnação, depois da morte, enquanto há outras que afirmam que a reencarnação não é possível. 
A diversidade de crenças é bem maior do que esse meu resumo simples. Mas o que expliquei, já basta para demonstrar que as diversas crenças existentes se contradizem. Logo, não é possível que todas elas estejam certas ao mesmo tempo.   E afirmar que todos esses caminhos espirituais levam ao fim desejado contraria toda a lógica –  isso simplesmente não é possível.

Afinal, se existir um único deus, quem afirmar existirem muitos deuses estará errado. E vice versa. E se há um deus que é um ser com vontade própria e raciocínio, a base do universo não pode ser uma força impessoal, pois as duas coisas são simplesmente incompatíveis entre si. E assim por diante.

Há um só caminho
As contradições entre as várias crenças obrigam necessariamente que alguém esteja certo e alguém esteja errado. É impossível, em termos lógicos, que todas as religiões estejam igualmente certas. Não há como fugir disso. E não é intolerância afirmar isso, da mesma forma que não é intolerante afirmar qualquer outra verdade. 

Afirmar que há crenças certas e outras erradas pode não ser simpático e parece politicamente incorreto, mas é a coisa certa a fazer. E quem defende a igualdade de todos os caminhos espirituais, como a artista que citei no começo desta postagem, não parou para pensar bem no significado dessa afirmação ou, o que seria ainda pior, sabe que está contrariando a lógica e segue em frente, porque essa é uma posição simpática.

A verdade é que as pessoas precisam ser incentivadas a encontrar o caminho espiritual certo. Precisam acreditar na coisa certa. Afinal, defender a igualdade de todos os caminhos torna as pessoas abertas a experiências espirituais que deveriam evitar.

Nesse sentido, o cristianismo está certo quando afirma que nem todos os caminhos levam a Deus. Há sim um único caminho certo. E por acreditar nisso, eu não fico incomodado quando o cristianismo é questionado, de forma respeitosa,  por quem pensa diferente, para que demonstre que suas doutrinas são verdadeiras. Assim como é razoável que os/as cristãos/ãs também possam questionar a verdade das outras doutrinas religiosas, desde que também façam isso de forma respeitosa. E não há nada de intolerante nem numa atitude e nem na outra.

Antes de terminar, preciso deixar claro que eu não apresentei argumentos aqui para comprovar que o cristianismo é a doutrina verdadeira. Eu acredito nisso, mas hoje quis apenas mostrar que a afirmação “todos os caminhos levam a Deus” é errada e perigosa.

Para a defesa de Jesus como o único caminho  até Deus, você pode consultar inúmeras outras postagens que tenho aqui no site.

Com carinho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here