O NOME CORRETO DO NOSSO SALVADOR

0
1061014

Ouvi, certa vez, uma pregação na qual a pastora disse mais ou menos o seguinte: “o nome verdadeiro do nosso Salvador é Yehoshua e se você quiser que Ele ouça quando você tentar falar com Ele, precisa chamá-lo pelo nome correto. Afinal, você só responde, quando te chamam pelo seu nome“.  

Essa tipo de declaração polêmica levanta duas questões. A primeira refere-se à identificação do nome correto de Jesus. Teria sido esse nome distorcido ao longo dos séculos

A segunda questão, não menos importante, refere-se à forma como Jesus deve ser invocado. Será que há uma única forma correta de fazer isso

Algumas informações preliminares
Nomes nascidos numa língua, quando são usados por pessoas de outra língua, costumam ser transliterados. Essa palavra difícil significa simplesmente transpor os sons correspondentes a esse nome da língua original para a nova língua. Por exemplo, transliteramos o nome “New York” (em inglês) para “Nova Iorque” (em português). 
É comum que haja mais de uma forma de transliterar um nome, pois o mesmo som pode ser escrito de diferentes maneiras numa determinada língua. Por exemplo, usamos no português “ç” e “ss” para expressar sons iguais. 
Qual o nome correto do nosso Salvador?
Os nomes dos/as personagens bíblicos que usamos no dia-a-dia nasceram de transliterações das línguas originais (hebraico, aramaico ou grego) para o português, às vezes via uma língua intermediária, como o inglês. 
No caso do nosso Salvador, temos um ponto de partida sólido para essa discussão, pois a Bíblia conta qual foi o nome que Deus deu ao filho de Maria, conforme recado que lhe transmitido pelo anjo Gabriel (Lucas capítulo 1, versículo 31).

O nome que o anjo passou para Maria, transliterado da língua original para nossa língua, com boa precisão, é “Yeshua”, que significa “Deus salva” – a origem desse nome é a palavra “yeshuá”, que significa salvação. Há outras formas de fazer essa transliteração, mas essa é a mais adotada.

O nome “Yeshua” não é inédito na Bíblia, ou seja, nosso Salvador não tem o uso exclusivo desse nome. Esse nome aparece 29 vezes no Velho Testamento, como em Esdras capítulo 3, versículo 2, em referência a um sumo-sacerdote – ali o nome costuma ser traduzido como “Jesua” para diferenciar do nosso Salvador. 

Precisamos ainda ter em mente que “Yeshua” é uma abreviação do nome “Yehoshua”, que é extremamente comum na Bíblia (aparece 219 vezes no Velho Testamento). A versão mais longa do nome costuma ser traduzida como Josué, por exemplo, o nome do segundo líder de Israel.

Em alguns textos do Velho Testamento, como no livro de Neemias, as versões “Yeshua” e “Yehoshua” são usados de forma intercambiável (por exemplo, no capítulo 8, versículo 17), demonstrando que elas eram consideradas sinônimos. 

É provável que “Yeshua” fosse o nome usado no dia-a-dia, enquanto que nas ocasiões mais solenes – por exemplo, quando a pessoa era chamada na sinagoga para ler a Torah – prevalecesse a versão completa, “Yehoshua”. Na cultura brasileira, seria como chamar a pessoa de “Zé” no dia-a-dia e de “José” nas ocasiões mais solenes.  

É possível que em alguns casos o nome tenha sido traduzido como Josué e em outros como Jesus pela vontade de diferenciar o nosso Salvador dos demais personagens bíblicos – não há dúvida que seria confuso chamar de Josué tanto o segundo líder da história de Israel como o nosso Salvador. Acredito que a praticidade acabou tendo um peso grande nessa escolha.

Agora, não há como ter certeza que o nome referido pelo anjo Gabriel tenha sido uma simples abreviação de um nome maior, ou a ideia fosse mesmo adotar o nome abreviado. Em outras palavras, simplesmente não sabemos se o nome do nosso Salvador é Yeshua, Yehoshua ou tanto faz.

Faz diferença invocar Jesus pelo nome certo?
Penso que não, por algumas razões. Primeiro, se não temos certeza qual era o nome certo, do nosso Salvador, conforme comentei acima, não faria sentido Deus impor essa obrigação ao povo cristão. 

Depois, também não me parece razoável pensar que Jesus possa fazer questão de que seu nome seja invocado de forma precisa, quando existem 2,5 bilhões de cristãos/ãs no mundo, tendo milhares de línguas maternas diferentes.

Não há nada na Bíblia que dê apoio à exigência de chamarmos nosso Salvador por um único nome. Na verdade, podemos chamá-lo de “Jesus”, de “Yeshua”, de Yehoshua” ou até mesmo de “Josué”.  Nenhum desses nomes estaria errado.

Qualquer outra exigência é uma ideia que nasce na cabeça das pessoas, pura e simplesmente, sem ter qualquer respaldo bíblico.

O que Jesus quer mesmo é manter um relacionamento próximo e amoroso com as pessoas e não que elas cumpram filigranas do tipo de usar um nome preciso. Ainda mais que, como Ele é onisciente, sabe perfeitamente quando alguém o está invocando, seja lá com que nome for. 

Com carinho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here