A VIAGEM MAIS IMPORTANTE DA SUA VIDA

1
899402

Imagine que você vai fazer a viagem mais importante da sua vida, mas não conhece bem o caminho para onde pretende ir. A viagem vai acontecer com certeza, mas a data da partida ainda não está escolhida

Esse lugar para onde você vai é muito bom, mas se você tomar o caminho errado, pode acabar em outro lugar muito, mas muito, ruim – como acontece com o GPS, quando joga a pessoa num lugar perigoso, onde ela não deveria passar.

O que você faria, enquanto aguarda chegar a data dessa viagem?  Procuraria fontes de informação para saber mais sobre o tal lugar e como chegar até lá? 

Acredito que a maioria das pessoas responderia que sim. Gostariam de se preparar melhor para essa viagem fundamental. Afinal, é da natureza humana planejar as coisas com antecedência e se preparar para as eventualidades. 

Agora, e se eu disser que talvez você não venha fazendo isso? Que não está se preparando adequadamente para essa viagem e inclusive vem deixando para a última hora providências importantes? Parece preocupante…

A morte é uma coisa certa e a Bíblia conta que você pode ir para dois lugares diferentes, depois que morrer: Céu ou Inferno. Acredito que você quer ir para o Céu, mas será que você sabe como chegar até lá? Será que está se preparando para essa viagem? Ou como a maioria das pessoas, não está se preocupando muito, imaginando que, quando chegar a hora, as coisas se resolverão de alguma forma e tudo vai dar tudo certo?

Há várias razões para as pessoas se preocuparem tão pouco com essa viagem. E a primeira delas é que vivemos, na prática, como se a morte não existisse. Como disse um conhecido autor, olhar para a morte é como mirar diretamente o sol – somente conseguimos fazer isso por tempo curto. 

As pessoas que alcançam um desenvolvimento espiritual maior vivem de forma diferente – vemos isso com clareza no texto de 2 Coríntios capítulo 12, versículos 1 a 6, onde o apóstolo Paulo diz que somente estava ainda neste mundo porque tinha uma missão a cumprir, mas preferia estar com Jesus. Essas pessoas como que arrumam “lentes escuras” para proteger seus olhos e poder encarar sol por quanto tempo for necessário. 

Foi isso que percebi tempos atrás no depoimento de uma senhora, que hoje anda por volta dos cem anos, durante uma aula de Escola Dominical. Ela perguntou sobre o Paraíso e expliquei o melhor que pude. Aí ela disse como pensava sobre essa questão: “Vejo uma campina verdejante e cheia de flores e minhas filhas [que já morreram], muito alegres, correndo para me abraçar – é isso que me dá forças para prosseguir vivendo.”

A segunda razão pela qual há pouco interesse nessa viagem é que, no fundo, muitas pessoas não estão tão convencidas assim que há tanta diferença entre Céu e Inferno. Basta ver como muitas piadas mostram o Céu como um lugar aborrecido, onde as pessoas nada mais fazem do que ficar louvando, junto com os anjos. E todas as coisas divertidas estão no Inferno… 

E essa é uma percepção errada e perigosa: o Inferno será um lugar de choro e ranger de dentes e nada de bom haverá lá, especialmente porque Deus não estará presente (Lucas capítulo 13, versículos 27 e 28). 

Deus nos criou e nos entende como ninguém. Sabe do que gostamos e o que nos motiva. Logo, seria absurdo imaginar que Ele iria nos preparar um lugar que somente geraria tédio. O Paraíso será um lugar maravilhoso, superior a qualquer coisa que possamos imaginar. Lá haverá festa eterna,  não existirão preocupações e nem dores, pois habitaremos junto com Deus. E deveríamos ter muita motivação de ir para lá.

A terceira razão para a pouca preocupação com essa viagem final é que a maioria das pessoas, bem lá no fundo, acha que Deus haverá de salvar todo mundo. Essa posição teológica é conhecida como universalismo – a salvação será universal. A lógica por trás desse pensamento é que um Deus bom não puniria ninguém eternamente. 

Essa não é a descrição que Bíblia faz dos fatosVocê pode até não gostar dessa doutrina, achar que ela não deveria existir e deveria ser jogada fora. Mas, foi isso que o próprio Jesus ensinou, como no texto de Lucas que citei acima. Logo, não há como fugir dessa realidade, goste você ou não.

Portanto, o mais prudente é começar a se preparar desde já para essa viagem. Aprender o mais que você puder sobre o Céu e o caminho para chegar até lá. E esse caminho se chama “Jesus”.

C. S. Lewis, talvez o maior escritor cristão da segunda metade do século passado, disse uma coisa muito interessante, que resume bem essa discussão toda: “Quem volta sua mente para o Céu e se preocupa de fato em como chegar lá, é também quem acaba fazendo diferença aqui na terra”. Sábias e santas palavras.

Com carinho                     

1 Comentário

  1. Oi, Vinicius.

    O que vc pode dizer sobre a questão de perdemos a consciência após a morte? Saberemos quem fomos ou somos?

    Abraço, Miss Blueberry.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here