A ALIANÇA DE DEUS CONOSCO

0
2484

Uma aliança é um pacto feito por duas partes para atingir determinado objetivo comum que beneficia a elas. As partes entram em aliança porque percebem haver vantagens.

Para que a aliança se sustente, normalmente é preciso que as partes cumpram certas condições pré-estabelecidas. E é comum também que as alianças tenham um certo símbolo (sinal) para indica estarem em vigor.

Exemplos de alianças são os pactos de defesa mútua entre países, como o Tratado do Atlântico Norte (OTAN), visando defender a Europa da Rússia. Ou acordos comerciais entre empresas, para dividir recursos logísticos, para apoio mútuo nos esforços de marketing, etc.

Agora, o tipo de aliança mais comum é o casamento. As partes (noivos) entram em acordo com o objetivo de constituir uma nova família. E por esse acordo, definem até como os bens serão tratados (em comunhão ou em separação) depois da união.

A condição para a manutenção do casamento é a honestidade de propósitos das partes, caracterizada pela fidelidade sexual, pela garantia de cuidados mútuos, pela moradia debaixo de um único teto, etc. E o símbolo dessa aliança é o anel que cada parte passa a usar na mão esquerda, não por acaso chamado de “aliança”.

A aliança com Deus 
A Bíblia fala de várias alianças feitas por Deus com os seres humanos. Nelas Deus é quem dá tudo, pois não há nada que Ele precise receber das pessoas com quem entra em aliança. Mas pode haver condições que as pessoas precisam cumprir para se manter em alainça com Deus.
Um excelente exemplo desse tipo de acordo é a aliança de Deus com Abraão (Gênesis capítulo 15, versículos 12 a 21). Nessa aliança, Abraão representou não somente a si mesmo, mas também seus descendentes (o povo de Israel).

O objetivo de Deus com essa aliança foi preparar um povo que servisse de exemplo para toda a humanidade, mergulhada na idolatria e tomasda por comportamento corrupto. E era no meio desse povo que iria nascer o Messias (Jesus).

As vantagens para Abraão foram inúmeras. Garantiu uma descendência (que até então não tinha herdeiros oficiais) e recebeu posse da Terra Prometida (Palestina), sem contar outras bençãos de natureza material e espiritual.

A condição básica para Abraão e seus descendentes manterem essa aliança era a fidelidade a Deus – embora, em diversos momentos da sua história o povo de Israel tenha se desviado, essa aliança nunca foi rompida por Deus, embora algumas vantagens relacionadas com ela, como a posse da Terra Prometida, tenham sido perdidas.

O sinal dessa aliança era a circuncisão, obrigatória para todo bebê do sexo masculino, com oito dias de vida.

Aliança de Deus conosco
Isso tudo nos interessa de perto porque há outra aliança com Deus em vigor hoje em dia, essa abrangendo não somente um povo, mas todos(as) aqueles(as) que escolherem nela entrar, incluindo nós. Ela é conhecida como “Aliança da Graça”.

Esse pacto é necessário porque todos os seres humanos pecam – fazem aquilo que não agrada a Deus. E isso é consequência direta do livre arbítrio, isto é, do direito que cada ser humano tem de fazer suas próprias esclhas. E ao pecar, os seres humanos são passíveis de justa punição por parte de Deus, que é santo e não tolera o pecado.

Portanto, todos nós seríamos punidos estarímaos perdidos, se Deus não tivesse estabelecido conosco a Aliança da Graça, que funciona assim: Jesus se sacrificou por nós na cruz e levou sobre si os nosos pecados. Assim, quem entender que é pecador(a) e aceitar Jesus como Salvador, tem seus pecados perdoados e re-estabelece sua relação com Deus, recebendo dele a vida eterna. 

A Aliança é pela Graça porque não fazemos nada para merecer aquilo que recebemos. Só recebemos os benefícios relacionados com essa Aliança por causa da Graça de Deus derramada sobre nós. Simples assim.

Agora, o que talvez você não saiba é que essa Aliança foi concebida antes da criação do mundo. Veja o que a Bíblia diz:

Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver… Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado. O qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós. 1 Pedro capítulo 1, versículos 18 a 20

Em outras palavras, antes mesmo do mundo ser criado, o Filho (Jesus), já era conhecido como “cordeiro” (sacrifício) sem mácula. E essa é uma constatação maravilhosa.

Para que esse plano funcionasse, foi preciso esatabelecer que o Filho (Jesus), seria um representante da raça humana. E para isso Ele encarnou, ou seja se fez como um de nós.

O Filho aceitou esse sacrifício voluntariamente, fazendo a vontade do Pai (Filipenses capítulo 2, versículos 8). O Espírito Santo , por sua vez, também fez a vontade do Pai e do Filho, dando-lhe poder, quando viveu entre nós (Lucas capítulo 4, versículos 1, 14 e 18) e depois, entrando na vida dos seres humanos para levá-los ao bom caminho .

A nova aliança, a baseada na Graça, é melhor que aquela que Deus tinha feito com Abraão, porque abrange todo mundo, enquanto na aliança anterior somente os descendentes de Abraão estavam contemplados. Depois, porque ela oferece a Graça de Deus, enquanto a aliança com Abraão tinha como base aquilo que o povo de Israel viesse a fazer.

A própria Bíblia reconhece que a Aliança da Graça é superior – veja o que disse o profeta Jeremias, homem que estava debaixo da aliança feita com Abraão:

Eis que dias vêm, diz o Senhor, em que farei uma aliança nova com a casa de Israel e com a casa de Judá. Não conforme a aliança que fiz com seus pais… Mas esta é a aliança que farei… : Porei a minha lei no seu interior e a escreverei no seu coração. E eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo… Jeremias capítulo 31, versículos 31 a 34

E foi o próprio Jesus quem explicou a abrangência desse novo pacto, firmado com seu sacrifício na cruz:

E, quando comiam, Jesus tomou o pão e abençoando-o, o partiu, o deu aos discípulos e disse: “Tomai, comei, isto é o meu corpo”. E tomando o cálice, dando graças, deu-o dizendo: “Bebei dele todos. Porque isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados. Mateus capítulo 26, versículos 26 a 28

Amém

 
The following two tabs change content below.

Vinicius Moura

Nasci em 1951. Já estou entrando naquela idade em que as pessoas não mais buscam aventuras, mas, de certa forma, este blog é uma aventura para mim, pois não sei bem o que esperar dele. Sou evangélico desde o nascimento. Sou também autodidata e venho me dedicando a esse tipo de estudo há mais de 20 anos. Tenho a oferecer, no papel de mediador deste blog, a experiência que acumulei ao longo de todos esses anos. Quero mostrar para as pessoas um cristianismo que liberta o ser humano – do pecado, das ansiedades, da falta de sentido, etc – e não uma religião dogmática, que aprisiona, pela imposição de um monte de regras e através da culpa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here