A FORÇA MAIS PODEROSA DO MUNDO

0
16837

Damian Aspinall é um especialista em cuidar de animais. Ele criou um filhote de gorila num zoológico britânico, desde o nascimento do animal, até quando foi solto na selva (já adulto). Cinco anos depois, Damian resolveu visitar Kwibi (o nome daquele gorila) no seu habitat, na selva africana. Damian queria saber se Kwibi iria reconhecer quem o tratou como a um filho.

Algumas pessoas tentaram demover Damian da ideia, pois lidar com gorilas selvagens é tarefa muito perigosa. Mas Damian insistiu e viajou para a África. Quando chegou ao local, ficou andando de barco, chamando pelo nome do gorila. Até que ele apareceu. O encontro de Damian e Kwibi (veja aqui) foi super emocionante – dá um arrepio ver o olhar de amor na face do gorila. 

Amor entre seres humanos e animais domésticos, como cachorros e gatos, é muito comum – há animais que se tornam como membros da família com a qual vivem. Não há nenhuma novidade aí. Mas amor envolvendo animais selvagens, que não têm hábito de conviver com seres humanos, é realmente surpreendente. Mais ainda foi o fato do animal ter-se lembrado, anos depois, do sentimento que teve pelo seu “pai” humano.

O amor inspira tudo

Depois de ver o vídeo do encontro, fiquei pensando sobre o amor. Para a Bíblia, trata-se da maior fonte de poder que existe. E não por acaso, a essência de Deus é exatamente o amor.

Acho que dois exemplos são suficientes para comprovar o que acabei de falar. O primeiro é a salvação do ser humano: ela foi totalmente construída em cima do amor de Deus por nós. É por conta desse amor que Ele mandou seu Filho, Jesus, morrer por nós na cruz. 

O outro exemplo é a “Lei do Amor”, o conjunto de dois mandamentos que, segundo o próprio Jesus, resumem tudo que Deus espera de nós: amar a Deus sobre todas as coisas e amar ao próximo como a nós mesmos (veja mais). É claro que esses dois mandamentos não são ordens para que venhamos a ter um determinado sentimento e sim uma orientação para agir como se o amor existisse. Quando fazemos isso, na prática, tudo funciona como se esse sentimento fosse real.

E as guerras demonstram exatamente o que acontece quando o amor entre as pessoas desaparece: o sofrimento, especialmente dos inocentes – o que está acontecendo em Gaza, entre israelenses e palestinos, é um triste exemplo disso. A exploração dos seres humanos por outros, mais fortes, gerando miséria e violência, é outro exemplo sempre presente da falta de amor.

Se a sociedade moderna desse mais valor ao amor e menos às coisas materiais, viveríamos outra realidade. E é triste saber que não é assim. Mas também é um consolo saber que onde o amor está presente, coisas maravilhosas acontecem. 

Com carinho