ONDE ESTAVA DEUS QUANDO OCORREU A TRAGÉDIA?

2
89

A trágica morte de quase 300 jovens, num incêndio em uma casa noturna no RS, chocou o país e o mundo. A dor dos familiares desses jovens é algo que corta o coração e também aterroriza os pais, quando pensam nos riscos por que passam seus próprios filhos.

É inevitável que nesses momentos as pessoas se voltem para Deus: muitos em busca de consolo e forças para enfrentar esse martírio, enaquanto que outros para questionar o por quê. O que mais recebo nessas horas são perguntas do tipo: Onde estava Deus que não evitou essa desgraça?

Deus é mesmo responsável?
Esse é um tema, infelizmente, sempre atual, pois as tragédias se repetem, ano após ano – desde que comecei esse blog já tivemos a enchente na serra fluminense, dois grandes massacres nos Estados Unidos, dentre outros eventos assustadores.

Resumindo o que já disse em post anterior (veja mais), essas catástrofes têm sempre como causa as escolhas erradas dos próprios seres humanos e esse caso não é diferente:

  • Os agentes do poder público não fiscalizaram adequadamente, permitindo o funcionamento de uma casa noturna sem obediência às necessárias normas de segurança.
  • Os proprietários da casa noturna, para não reduzir seu lucro, mantiveram o local funcionando de forma irregular. E permitiram que a superlotação do local no dia da tragédia.
  • A banda que usou fogos de artifício “quentes”, para tornar seu show interessante, num local fechado, o que é totalmente contra indicado. E o pior que já há experiência de incêndio, em outras casas noturnas, por conta do uso de fogos e nem assim os responsáveis pela banda aprenderam a lição.
  • O público (nós mesmos) que não é rigoroso com o cumprimento de itens de segurança – imagine o que aconteceria se ninguém mais frequentasse casas noturnas funcionando em situação irregular?

São muitos os responsáveis, em grau maior ou menor, e houve toda uma cadeia de decisões desastrosas que infelizmente geraram esse terrível resultado. Portanto, atribuir a Deus a culpa pelo que aconteceu é desviar a atenção da causa real: a responsabilidade humana.

É certo que essas decisões erradas puderam ser tomadas porque Deus nos dá o livre arbítrio, ou seja o direito de decidir livremente. Sendo assim, o que poderia de fato ser questionado é o seguinte: Por que Deus não obriga o ser humano a sempre agir de forma correta? Ou seja, por que Deus deu o livre arbítrio para o ser humano?

Já apresentei essa resposta no post a que me referi acima e não tenho espaço para repetir todo o argumento aqui. Mas a razão fundamental é que Ele deseja o que o amemos de forma livre e essa forma de amor é aquela que todos buscam, nós aí incluídos.

Além disso, sempre haverá coisas relacionadas com Deus que não vamos entender inteiramente, senão Ele não seria quem é e sim um ser humano como nós.

Como consolar?
É duro falar essas coisas em meio a uma grande tragédia como essa, pois parece uma reflexão meio fria, apenas teológica. Mas é ela que dá condições àqueles que querem entender o papel de Deus nessas situações e, quando não obtem resposta adequada, acabam se afastando d´Ele.

Mas o que dizer, então, para quem está sofrendo muito? Começo listando, por estranho que possa parecer, o que não deve ser dito, pois, acredite, já ouvi todas essas barbaridades diversas vezes, ditas por pessoas até bem intencionadas:

  • Foi a vontade de Deus: essa não é em abosluto a vontade d´Ele e pode ter certeza que as pessoas que concorreram para que a tragédia ocorresse não agiram dentro do que Ele queria. Infelzimente nem sempre a vontade d´Ele é feita nessa terra.
  • Chegou a hora da pessoa: acreditar nisso é aceitar que todos viemos com o destino traçado e, portanto, não haveria livre arbítrio. Na verdade, somos responsáveis pelos nossos atos e sofremos as consequências
    de nossas escolhas.
  • De alguma forma o ocorrido foi para o bem: essa declaração chega a insultar a inteligência de quem está sofrendo. É claro que acreditamos que Deus quer o melhor para nós e pode fazer do “limão uma limonada”, mas isso não quer dizer que a tragédia era o desejo d´Ele. Não mesmo.

O que, então, fazer nessas situações:

  • Falar o mínimo possível: é um momento de demonstrar afeto, apoio, etc, especialmente com gestos de carinho – um simples abraço apertado pode falar muito mais do que todo um discurso.
  • Leia um pequeno texto da Bíblia para confortar a pessoa, se houver espaço para isso: há vários textos na Bíblia apropriados, pois as pessoas cuja vida é ali relatada também sofream muito. Escolha esse texto antes de encontrar a pessoa, para não se atrapalhar na hora.
  • Diga para a pessoa que Jesus sabe o que é sofrer: Ele viveu entre nós e passou por situações terríveis também. Por isso, nos entende perfeitamente quando sofremos.
  • Diga também que Jesus nunca vai a abandonar: Ele estará sempre presente, dando forças, reavivando a esperança e reforçando a fé de que as coisas não acabam aqui – há toda uma vida ainda por vir.
  • Fale o mínimo possível: grandes pregações nessa hora só atrapalham e a chance de acabar dizendo bobagem é muito grande.

Com carinho 

 

2 Comentários

  1. Irmão me desculpe, hoje eu vi que o meu link que tinha adicionado as favoritos estava direcionado para 2012, perdi muita coisa de 2013 afinal pensei que vc não estivesse atualizando.Mas agora está certo!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here