OS SÍMBOLOS DO NATAL SÃO PAGÃOS?

7
5480

Todo ano, nesse período de Advento, quando as decorações especiais são colocadas e as festas programadas, trava-se uma discussão interminável entre os evangélicos: As decorações de Natal (árvores, bolas e outros enfeites) são símbolo pagãos? E se forem, podem ser usados na decoração de ambientes cristãos?

O fato é que pessoas muito sérias e bem intencionadas têm opiniões diferente a respeito dessas questões. Alguns aceitam as árvores de Natal, enquanto outras fogem delas.  E argumentos são apresentados a favor de uma visão ou da outra.

E aí os fiéis ficam confusos, sem saber bem em quem acreditar e que orientação seguir.

As raízes da divergência
A questão teológica por trás dessa divergência tem a ver com a questão das tradições pagãs incorporadas à vida cristã. A ideia daqueles que são contra é evitar fazer uso de tudo aquilo que teria potencial para contaminar nossas vidas e dar espaço para a ação do Inimigo. 

Ora, como a árvore de Natal, as bolas coloridas, as estrelas, enfim praticamente todas as decorações de Natal, vieram de tradições pagãs, tudo isso deveria ser evitado, segundo os defensores dessa linha de pensamento.

Os que pensam de forma contrária, defendem que o importante é o uso que se dá às coisas e não a origem delas e, portanto, não haveria mal nenhum em seguir essas tradições.

A questão da influência pagã no meio cristão
O problema para os defensores de evitar as tradições pagãs, que acabaram absorvidas pela nossa cultura, é que não há como separar o “joio do trigo”. Muitas tradições estão tão imbrincadas na vida cristã, que não haveria como eliminá-las. 

E vou começar com um exemplo fácil: todos que evitam a árvore de Natal, comemoram o nascimento de Jesus na noite do dia 24 de dezembro. Mas, na verdade não sabemos em que dia Jesus nasceu e certamente não foi no dia 24.

Por que então foi escolhida essa data pelos cristãos? Simples, por que ela correspondia, no Hemisfério Norte, ao solstício de inverno, data em que havia uma grande comemoração pagã, dedicada ao Sol Invictus. Para derrotar essa tradição pagã, os líderes religiosos cristãos começaram a comemorar o nascimento de Jesus em paralelo a ela. Em outras palavras, a data do dia 24 foi, indiretamente, escolhida pelos adoradores do Sol Invictus.

Sendo assim, os cristãos que querem fugir da influência das tradições pagã não deveriam comemorar o Natal na noite de 24 de dezembro – poderiam escolher qualquer outra data, mas nunca essa.

O fato é que os exemplos de influencia pagã na cultura cristã são muito maiores do que podemos imaginar. E vou começar pelo terreno das ideias que hoje recheiam a teologia cristã. Boa parte delas tiveram origem na filosofia grega – Platão, Aristóteles e outros – e foram aplicadas no desenvolvimento da doutrina cristã. Um belo exemplo é o Verbo Divino, Cristo, citado no começo do Evangelho de João (capítulo 1, versículo 1), que toma de empréstimo o conceito do “logos” da filosofia grega. 

Vou agora dar um exemplo que vem da forma como os templos cristãos são organizados. Toda igreja tem um púlpito, lugar muito especial, pois quando o pastor fala dali a congregação acredita que o Espírito Santo o está dirigindo naquilo que diz. Por causa disso, o púlpito coloca fisicamente o pregador acima da congregação. E o pastor somente sobe ao púlpito quando vai falar para a congregação, sendo que nos demais momentos, ele fica no mesmo “nível” das demais pessoas.

A ideia do púlpito deriva das cadeiras para leitura existentes em diferentes locais públicos, inclusive templos, de tradição grego-romana (pagã) – esse conceito, por exemplo, não existia no Templo de Salomão. Foi depois adotado pelo judeus nas suas sinagogas (eles não tinham escrúpulos em adotar boas ideias dos pagãos) – foi de uma cadeira como essas que Jesus leu do livro do profeta Isaías, na sinagoga em Nazaré, quando estabeleceu qual era sua missão nesse mundo (veja mais).

Posteriormente essa cadeira foi para trás do altar e passou a se chamar “cathedra” e dali os sermões eram lidos pelo bispo (antes da Reforma protestante). Em outros casos, migrou para a lateral, passando a ser conhecida como púlpito, nome derivado de uma palavra em latim, imaginem. que significa palco.

Outro exemplo é a forma como o sermão é hoje ministrado à congregação – o pregador fala e todos escutam. No tempo de Jesus e no início do cristianismo, a pregação era feita com a particpçaõ dos ouvintes, com base em perguntas e respostas, como podemos ver vários exemplos no Novo Testamento. A forma atual deriva dos sofistas, professores de retórica e dos debates em praça pública nas cidades gregas, sempre em ambiente pagão. 

O mesmo poderíamos dizer das vestes litúrgicas (estolas sacerdotais), da decoração do altar com cores representativas das diferentes épocas do ano, da arquitetura das catedrais, etc, etc.

O que fazer então? Abandonar todas essas influencias? Penso que seria impossível e acho que Deus nem requer isso de nós. Afinal, o Templo de
Jerusalém foi construído por Salomão, segundo as orientações dadas pelo próprio Deus. O edifício principal tinha, na entrada, duas colunas enormes, decoradas com romãs (1 Reis capítulo 7, versículos 15 a 22). Ora, esse tipo de arquitetura era muito comum em templos pagãos, bem anteriores aos de Salomão, conforme a arqueologia já demonstrou fartamente. 

Além disso, os israelitas que trabalharam na construção desse Templo aprenderam com artesãos do Líbano, os melhores do mundo, mas que eram pagãos (1 Reis capítulo 5, versículos 13 e 14). E usaram no Templo a mesma arte que aprenderam. 

E por causa disso Deus desprezou o Templo? Não, muito pelo contrário: Ele o encheu com sua presença (1 Reis capítulo 8, versículo 11). 

Palavras finais
Respeito aqueles que pensam diferente e evitam esse ou aquele simbolo usado no Natal. Respeito também aqueles que decidem não comemorar o Natal no dia 24 de dezembro e escolhem outro dia qualquer. Tudo isso é questão de fôro íntimo que não cabe a ninguém criticar. 

O que mostrei aqui é não ser possível estabelecer doutrina sobre essas coisas. Assim, cada um faça aquilo que entende ser correto – o que sua consciência cristã lhe diz para fazer – e, a partir daí, tenha paz com Deus.

Com carinho

7 Comentários

  1. olha, Deus não ama o pecado mas, ama o pecador, e todos nós cometemos erros, você tem o livre arbitrio para escolher o que é certo ou que é errado para sua vida. Peça a Deus direção de sua vida o que Ele lhe ensinar faça. e o que outros pensam de você deixa pensar,seja sempre você, e deixa Deus agir em sua vida.

  2. olha, Deus não ama o pecado mas, ama o pecador, e todos nós cometemos erros, você tem o livre arbitrio para escolher o que é certo ou que é errado para sua vida. Peça a Deus direção de sua vida o que Ele lhe ensinar faça. e o que outros pensam de você deixa pensar,seja sempre você, e deixa Deus agir em sua vida.

  3. ——– Resposta minha à um blog.————-
    Suas colocações soam equivocadas em relação à exegese de texto no livro de Reis. Veja bem esta comparação: Naquele tempo usava-se cobertura para os pés (tipo sapatos ou algo assim). Israelitas também usavam coberturas para os pés. O uso de coberturas para os pés maleficia a tal cobertura ? Não. Utilizar a motivação da natureza para decoração macula tal motivação? Não! Contudo o uso liturgico da natureza a paganiza. A árvore que coloco em uma casa na época natalina configura pela equivocada utilização, ritual de liturgia. (Aqui liturgia refere-se ao repetitivo conjunto de práticas que oficializia cerimonia, sacralizando este mover humano que em seu âmago motivacional compõe-se de sentido espiritual) Assim se há sentido espiritual na decoração natalina existe a representatividade transcendente em tal mover. TUDO ASSIM MUDA DE FIGURA … Vc está legalizando o erro através de exegese textual inadequada. Vc já parou para pensar que está lidando com o povo de Deus e para um que ensina errado é fatalidade adquirida? E que em síntese completa este NATAL agregado de suas simbologias oriundas de fora do contexto Escriturístico paganismo apregoado torna-se. Não é maldição transformada em benção ! Ou há água pura ou não há. Porque a água da Verdade vem de Cristo, mata a sede. A sede é morta, não quem bebe … jessejrteologo@hotmail.com LUTAMOS PELO MESMO IDEAL:CRISTO ! Paz!

    • Agradeço sua colaboração que enriqueceu nosso debate.

      O mesmo comentário que você fez sobre a árvore, se aplica por exemplo ao dia do Natal. A data de 24 dez ficou sagrada por ter sido escolhida para representar o nascimento de Jesus e ela era originalmente uma data pagã, a comemoração do solstício de inverno. Vamos agoara deixar de comemorar o Natal na noite de 24 dez?

      A cultura humana é formada por uma sucessão de camadas de informação que vão sendo superpostas umas às outras, ao longos dos anos. Assim, o significado das coisas vai mudano ao longo do tempo e isso vale para tudo: palavras, atos, lugares, etc. Há enorme quantidade de exemplos que eu poderia dar para você e no meu texto eu citei alguns deles.

      Continuo não convencido pelos argumentos daqueles que querem ler hoje em dia ideias pagãs em coisas que são praticadas com outra intenção. Se formos por esse caminho, vamos ter que proibir a dança, boa parte da música, da literatura, do folclore e assim por diante. Enfim, da cultura humana. Não acho que o caminho seja por aí.

      Conforme comentei, a própria arquitetura do Templo de Jerusalem era de inspiração pagã, tendo sido encontrada em templos muito anteriores ao de Salomão. E nem por isso Deus deixou de consagrar o Templo e sua presença habitava nele.

      Finalmente, eu tenho muita consciência quanto ao que escrevo aqui e sua consequência sobre a vida das pessoas. Mas acho que aqueles que querem colocar cargas pesadas sobre a vida das pessoas, exigindo delas coisas que não são sancionadas pela Bíblia, também precisam ter a mesma preocupação, conforme Jesus advertiu.

      Vinicius

  4. a paz para vc jovem não e erado se espresar erado e saber que estar num e continuar quando aceitamos Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.
    2 Coríntios 5:17 então tudo e novo descubra isso nao e presiso so acreditar em e presiso confesa-lo como senhor e salvador de sua vida Mas que diz? A palavra está junto de ti, na tua boca e no teu coração; esta é a palavra da fé, que pregamos,
    A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.
    Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.
    Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido.

    Romanos 10:8-11

  5. Seu vinicius…
    tenho 25 anos sou católico desde quando me entendo por gente,conforme fui tocando minha vida fui desacreditando em algumas coisas como Nossa senhora de Nazaré!a qual fazia minhas orações fervorosamente quando mais jovem, hoje depois de minhas andanças pela vida, namoradas evangelicas, amigos e muitos amigos eu sinto um certo receio dos evangelicos não sei se é a palavra . não sei se estou generalizando tambem escrevendo dessa forma.
    A questão é que me incomoda a jeito de alguns falarem que são evangélicos passando uma ironia de uma forma tipo! agora eu sou da igreja essa minha vida eh passado! tipo reprovando a vida que eu e muita gente boa , honesta e posso dizer ate que com um coração enorme tem eh errada, eh pecado eh motivo de olhar e entortar o canto d boca e balançar a cabeça.porque eu curto sair com amigos beber uma cerveja de vez em quando. repudiando totalmente, sendo que a minha fé por Deus é muito grande eu agradeço as coisas boas, peço que ele me guie nos momentos dificeis que ele sabe o que eh melhor pra mim mais do que eu mesmo.Eu tenho um amigo ateu, e o meu amigo evangelico o pai dele ainda e pastor, durante 4 anos faziamos as mesmas coisas esse fim de ano ele voltou pra igreja e me olha da mesma forma que descrevi assim, se afastou de mim mais nem percebe. A questão aqui não eh que eu esteja dizendo ou criticando a atitude de viver uma vida como ele acha que eh melhor ir pra igreja , não beber, não sair, mais não acho certo essa visão, essa ótica que muitos evangelicos tem, e quando ocorre algo de errado,no trabalho,no relacionamento e motivo pra sair, beber, converçar e depois acordar no dia seguinte se martirizando dizendo que foi um homem de pouca fé e muitos passam anos no alcoolismo, nas drogas, n vida do crime e depois voltam pra casa do senhor a igreja com o mesmo olhar de superior.
    eu nunca fiz mal a ninguem acredito muito em Deus tenho minha fé meus costumes mais não e de hj que isso passa na minha cabeça e no meu coração. como o senhor descreveria ou me aconselharia nessa situação. ??? desde ja agradeço.

    • amado, creio que Deus gostaria de falar com vc
      então vc pode ler, na bíblia (único livro que ele nos deixou)
      Êxodo 20…Deus abençoe a sua vida. bjs no seu coração.
      Mary …fone 13 99629-3963

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here